quant
Fique ligado

Edição 440

Entrevista a Atanagildo Lobo, candidato pela CDU à União de Freguesias de Alvarelhos e Guidões

Publicado

em

“Prioridade é devolver Guidões aos guidoenses e Alvarelhos aos alvarelhenses”

Caso seja eleito, Atanagildo Lobo pretende construir as “casas do povo de Guidões e Alvarelhos”.

O Notícias da Trofa (NT): O que o leva a candidatar-se à Assembleia de Freguesia da União das freguesias de Alvarelhos e Guidões?

Atanagildo Lobo (AL): É este o principal objetivo que pretendemos: conseguirmos a freguesia de Guidões de volta e a freguesia de Alvarelhos de volta em oposição à «união/imposição» forçada pelo PSD/CDS contra a vontade do povo. É necessário dizer claramente que foram o PSD e o CDS, com uma lei que aprovaram na Assembleia da República, os partidos que extinguiram as freguesias de Guidões e Alvarelhos. A unidade na ação e na luta será possível e até seria desejável. Por exemplo, unir a força das freguesias para conseguirmos o Metro, para conseguirmos a despoluição do Ave. Mas a extinção das freguesias concretizada pelo PSD/CDS, dá menos força a essa luta, afasta os eleitores dos eleitos, prejudica as populações, sobretudo os mais idosos, e é um insulto ao passado histórico e aos nossos conterrâneos que já morreram. Com a alteração de forças na Assembleia da República é possível recuperar as freguesias. É isso que a CDU quer. Na assembleia de freguesia é necessário não deixar cair esta bandeira. Continuar a levantá-la é fundamental. E nisso a CDU, como em tudo, é única e é de confiança.

 

NT: Quais são os projetos que vai apresentar para o mandato?

AL: A construção da «casa do povo de Guidões» que servirá de centro de apoio político, administrativo, social, histórico e cultural à população de Guidões e a transformação do edifício da junta de freguesia de Alvarelhos na «casa do povo de Alvarelhos» com idênticas valências. Ambas serão as futuras sedes de junta quando reconquistarmos ambas as freguesias. 2) A repavimentação em asfalto da estrada principal que liga o Muro a Guidões e artérias afluentes, com melhores condições de segurança, com passeios onde for possível e sinais de proteção 3) Pressão política pela construção do Metro e pela despoluição do rio Ave.

Publicidade

NT: Qual o projeto/área prioritário(a) caso seja eleito?

AL: A prioridade está na devolução de Guidões aos guidoenses e de Alvarelhos aos alvarelhenses. Dos outros será o projeto dos acima apresentados que reunir as condições políticas, materiais e financeiras para o efeito.

NT: Considera importante que a Câmara e a Junta de Freguesia sejam governadas pelo mesmo partido político? Porquê?

AL: A Câmara era do PSD e o Governo do PSD e o Metro não chegou à Trofa. A Câmara era do PS e o Governo do PS e o Metro teimou em não chegar à Trofa. Provavelmente se a Câmara fosse da CDU as coisas seriam diferentes. Se o governo fosse da CDU, certamente, fosse qual fosse a cor da câmara da Trofa, o Metro já estaria na Trofa. Porque a CDU não cede a pressões. Porque a CDU é honesta na sua coerência e consequência políticas. Com isto penso que respondi à sua pergunta. O que é importante na política é a seriedade, a consequência e coerência. Estamos habituados a que PSD, CDS e PS prometam uma coisa e depois façam outra. Dizem defender aqui uma coisa e em Lisboa aplicam outra. Por isso é que muitas pessoas dizem que são todos iguais e desacreditam os políticos. Mas os partidos não são todos iguais. Ao contrário, os eleitos da CDU não buscam no poder privilégios ou benefícios pessoais. Os compromissos são para valer, a palavra dada para respeitar. A CDU e os partidos que a compõem, são sérios, porque são coerentes e consequentes. O melhor pois, é confiar na CDU, pois honrará sempre os seus compromissos, coisa que os outros não fazem.

 

Continuar a ler...
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 440

Festival de Concertinas atraiu multidão a Santa Eufémia

Publicado

em

Por

 

A Trofa foi na tarde de sábado, 21 de setembro, a capital das Concertinas e dos Cantares ao Desafio.

Atraídas pela música de improviso acompanhada pelas concertinas, muitas pessoas deslocaram-se ao Monte de Santa Eufémia, em Alvarelhos, para assistirem ao 14º Encontro de Tocadores de Concertina e Cantares ao Desafio.

“Centenas de tocadores e cantadores”, segundo dados da organização, animaram a tradicional festa de Santa Eufémia, onde acorreram muitos apaixonados por esta cultura popular. O público presente não resistiu às músicas e aos cantares e deu um pezinho de dança.

Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal da Trofa, que continua a procurar “preservar as tradições e os costumes”, através destas “festas tradicionais e populares”.

O vereador do pelouro da Cultura, Assis Serra Neves, afirmou que os cantares de desafio e o festival são, “tal como o fado, uma cultura muito própria, neste caso, no Norte do país e, mais concretamente, do concelho da Trofa”. “À semelhança de outros anos, correu muito bem. Uma concentração muito especial, porque é muito vocacionada para este tipo de atividades e espero que o futuro executivo mantenha esta atividade, porque é uma bandeira do nosso concelho”, referiu.

Recorde-se que a tradição dos cantares ao desafio é comum a várias regiões e países do mundo. No século XX, no Norte Litoral português, este modo musical e poético de improvisação, começou a ser acompanhado com concertinas, tornando-se um ícone da musicalidade tradicional da região.

Publicidade
Continuar a ler...

Edição 440

Dojo Murakami do Muro recebeu encontro de karaté

Publicado

em

Por

 

“O encontro correu como se esperava, foi perfeito.” Este foi o balanço do mestre Arlindo Ferreira relativamente ao encontro de karaté que o Dojo Murakami da Associação Recreativa Juventude do Muro (ARJM) dinamizou durante a tarde de sábado, 21 de setembro.

Além de ter estado “praticamente” todos os alunos do Dojo da ARJM e da Póvoa de Varzim, também participaram os seus familiares, que “elogiaram” o trabalho desenvolvido pela coletividade e solicitaram a abertura de novos dojos (equivale a salas de treino) noutros locais. Arlindo Ferreira declarou que esse terá que ser um assunto “bem pensado”, mas que se aceitarem, as pessoas podem continuar a “depositar-lhes total confiança” para poderem “deixar os filhos”. “Já habituamos as pessoas a confiar, porque não desistimos. Exemplo disso é o Dojo da ARJM, que é o mais antigo do norte da Associação Shotokai de Portugal, que chegou a ter um grupo pequeno, mas não os abandonamos e valeu, porque felizmente estamos a crescer”, frisou.

O Dojo da ARJM recebe aulas de karaté-do Shotokai às, segundas, quartas e sextas-feiras, entre as 19 e as 21 horas, e aos sábados no Dojo da Póvoa de Varzim. Para mais informações ou até para se inscrever, pode fazê-lo nos dojos ou através do email (senseiferreira@sapo.pt) ou do telemóvel (911 102 689) do mestre Arlindo Ferreira.  

 

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);