“O meu principal projeto é sem dúvida alguma as pessoas”

Manuel Carvalho candidata-se à União de Freguesias de S. Martinho e Santiago de Bougado, com a prioridade de ajudar as pessoas, cujos “agregados familiares se encontrem no limiar da pobreza”.

 

O Notícias da Trofa (NT): O que o leva a candidatar-se à União de Freguesias de Bougado?

Manuel Carvalho (MC): Sempre fui e sou uma pessoa que me empenhei, trabalhei e lutei por causas públicas, ajudando pessoas e instituições no seu desenvolvimento. Não podia dizer não a este projeto e desafio, participando nele de modo ativo e empenhado. Tenho o dever e a honra de ajudar e contribuir este Concelho a catapultar-se para a ribalta, pois tão arredado tem andado dos seus direitos sociais, cívicos e económicos. Acredito no seu desenvolvimento e nas capacidades empreendedoras que as pessoas possuem, pois já em tempos pretéritos o demonstraram, deixando-se arrastar no presente, para a situação incómoda e desconfortável, devido às más e levianas políticas que o têm governado de forma tão superficial e pouco ou nada sustentada.

 

NT: Quais são os projetos que vai apresentar para o mandato?

MC: O Bloco de Esquerda, assenta a sua política autárquica em três grandes pilares de governação. A primeira e em primeiro lugar, são as pessoas, pois ninguém é feliz no local onde vive, quando os políticos eleitos não os veem como a primeira razão de ser, nada fazendo com que estas possam participar na construção e consolidação de um modelo de vida mais concordante com os seus anseios.

O segundo pilar, tem como pano de fundo o reforço dos direitos dos cidadãos.

O terceiro pilar, tem como objetivo integrar as pessoas e organizações das de todas vertentes cívicas e sociais na elaboração e concretização do orçamento participativo, para que dele, todos sem exceção, possam e venham a ser contempladas, fazendo-se, desta forma maior justiça social.

 

NT: Qual o projeto/área prioritário (a) caso seja eleito?

MC: Sendo eleito, o meu principal projeto, é sem dúvida alguma, as pessoas, as mais carenciadas, os mais idosos, as crianças e jovens cujos agregados familiares se encontrem junto do limiar da pobreza. Que interessa a estas pessoas, obras megalónomas e ou faraónicas e que em nada engrandecem os políticos.

 

NT: Considera importante que a Câmara e a Junta de Freguesia sejam governadas pelo mesmo partido político? Porquê?

MC: Sim. As “Família Políticas”, são como as organizações familiares tradicionais. Logo considero que, em política é benéfico para as populações que, estas sejam governadas pelo mesmo partido político, pois os consensos serão mais abrangentes e em caso de existirem projetos comuns e não só. Para que haja transparência e não se instale um clima de dúvidas sobre este tema, todos os partidos políticos e coligações admitidos a eleições, deveriam no seu programam eleitoral, plasmar todos os projetos de relevo, obrigando-se a si próprio e em comunhão com os eleitores, cumpri-los ao longo do mandato para que são eleitos.