“Prioridade é ajudar os murenses que atravessam dificuldades, apoiando as IPSS”

António Correia candidatou-se ao Muro com o objetivo de desenvolver um “projeto sério e empenhado que valorize e desenvolva a freguesia”.

 

O Notícias da Trofa (NT): O que o leva a candidatar-se à Assembleia de Freguesia do Muro?

António Correia (AC): Acreditamos que é possível desenvolver um projeto sério e empenhado que valorize e desenvolva a freguesia do Muro. Nos últimos anos, principalmente no último mandato, a freguesia do Muro parou no tempo, viu promessas serem literalmente aterradas e a população foi esquecida.

 

NT: Quais são os projetos que vai apresentar para o mandato?

AC: Na impossibilidade de mencionar todos, vamos realçar os mais urgentes: reivindicar o saneamento básico e água canalizada para toda a freguesia; exigir a requalificação da rede viária da freguesia e a construção da linha do Metro; criar um gabinete de apoio ao cidadão e melhorar a comunicação da Junta de Freguesia com os cidadãos, nomeadamente através da internet; apoiar de uma forma transparente os projetos das nossas coletividades; atribuição de prémio de mérito ao melhor aluno do 1º ciclo; criação de um circuito pedestre na freguesia; recuperar os fontenários; construção do primeiro parque infantil na urbanização Aldeia Nova; requalificação paisagística do terreno público na Rua dos Restauradores/Agra da Cana; melhorar de forma sustentada a limpeza e o asseio da nossa freguesia e a recolha de resíduos sólidos urbanos.

 

NT: Qual o projeto/área prioritário(a) caso seja eleito?

AC: Um dos principais problemas da freguesia do Muro é a questão das acessibilidades. O Muro é atravessado pelas estradas nacionais 14 e 318, estradas com muito trânsito, principalmente de veículos pesados. São vias que necessitam de profunda requalificação, não apenas remendos. A colocação de semáforos de controlo de velocidade é outra prioridade. Temos também a questão do Metro que o atual executivo camarário abandonou e o próprio executivo da Junta colocou de lado, tal é o silêncio perante o aterro da linha de Metro.

Outra prioridade é a área social e ajudar os murenses que atravessam dificuldades e isso só é possível apoiando as IPSS que estão no terreno. Por isso, é para nós urgente resolver a questão da sede social da Associação “Muro de Abrigo”. A Assembleia Municipal já aprovou a cedência de um terreno para a construção da sede, mas a associação ainda não conseguiu iniciar essa obra. O prazo está a terminar e, caso a obra não seja iniciada, o terreno terá de ser devolvido. O próximo executivo de Junta tem de encontrar soluções para esta questão, ajudando quem já tanto deu à nossa freguesia.

Destacamos também a área de lazer. A nossa freguesia necessita urgentemente de espaços verdes e de lazer e importa também desenvolver um programa de atividades lúdicas e recreativas para a dinamização destes espaços.

 

NT: Considera importante que a Câmara e a Junta de Freguesia sejam governadas pelo mesmo partido político? Porquê?

AC: A questão do metro e da requalificação das estradas nacionais espelha bem essa importância! Claro que a Junta de Freguesia e Câmara Municipal têm programas e financiamentos próprios, mas há muitas questões que são comuns. Se houver um projeto criado em equipa, de raiz, quer para a Junta, quer para a Câmara, com prioridades e objetivos comuns, a nossa população beneficiará muito mais, do que ter cada um a remar para o seu lado.