Populares tentaram travar ladrões à Ourivesaria da Estação, mas indivíduos conseguiram fugir

Vários tiros e o medo marcaram o cenário da fuga atribulada de três indivíduos que assaltaram a Ourivesaria da Estação, em S. Romão do Coronado, na passada sexta-feira. Depois de conseguirem forçar a passagem, quando um comerciante atravessou uma carrinha no caminho, e antes de fugir, os ladrões ainda foram apedrejados por um popular.

Os vários pedaços de plástico vermelho de um farol no chão eram a prova de que a fuga dos ladrões que assaltaram a Ourivesaria da Estação, em S. Romão do Coronado, tinha sido tudo menos pacífica. Depois de conseguirem levar um saco cheio de peças em ouro, pelo menos três indivíduos foram surpreendidos pela coragem de um comerciante que, ao aperceber-se do assalto, atravessou uma carrinha para tapar o caminho de fuga dos ladrões.

Os indivíduos forçaram a passagem e ainda dispararam alguns tiros em direcção à carrinha, que apenas conseguiu atrasar a fuga dos ladrões.

José Oliveira, que estava perto dos Correios, viu a confusão e depois de perceber que se tratava de um assalto ainda apedrejou o carro Peugeot 206 preto dos assaltantes, partindo-lhes o vidro.

“Vi muita gente a gritar e pensei que era um incêndio, mas depois apercebi-me de um encapuzado com um saco cheio na mão, o senhor da carrinha estava a trancá-los para não arrancarem, mas eles (ladrões) conseguiram passar e eu cacei num paralelo e atirei-o ao carro e partiu-lhes os vidros de lado”, contou ao NT.

Segundo a testemunha na loja tinham entrado dois ladrões: “um estava com a pistola e outro estava com o saco cheio e dizia ‘dispara, dispara'”. O outro indivíduo estava ao volante do Peugeot preto. Apesar das tentativas dos populares para os tentar travar, os ladrões conseguiram fugir em direcção à Maia, com uma quantidade desconhecida de peças em ouro. Para trás deixaram a montra da loja partida, uma cadeira derrubada e a carrinha Mercedes do comerciante alvejada e esmurrada.

Alertada a Guarda Nacional Republicana da Trofa esteve no local assim como a Polícia Judiciária que está agora a investigar o caso.