quant
Fique ligado

Ano 2012

Discriminar uma Freguesia pode ser perigoso

Publicado

em

A Junta de Freguesia é um elemento singular, caracterizador de um modelo de organização político-administrativa, único e distinto dos que existem nos países mais próximos. Essa identidade advém fundamentalmente da sua matriz histórica e da sua forma de relacionamento com as populações e com os outros níveis administrativos. Na realidade, este tipo de Autarquia Local já existia antes da revolução liberal e continuou a existir depois do Estado liberal, na República, no Estado Novo e após a implantação da Democracia.

A Autarquia Local não é apenas a identidade ou a personalidade do coletivo de uma comunidade. A Autarquia Local, também é, ou deve e pode ser, o prolongamento do direito individual e do direito do cidadão. É um direito do cidadão exigir dos outros níveis administrativos, equidade e seriedade no tratamento à sua Freguesia. A não ser assim, que deixem de apelidar de Poder Local, de poder de proximidade.

Não se entende, não é minimamente justificável, que uma Freguesia seja sistematicamente discriminada pelo poder municipal, só porque é uma Freguesia periférica. Verifica-se em muitos Concelhos, sejam novos ou mais antigos, este vício de forma e de conteúdo na gestão municipal, principalmente na atribuição de verbas e na execução de obras, em que as Freguesias periféricas são relegadas para os últimos lugares. E até nem são, muitas vezes, as Freguesias mais pequenas, em termos geográficos ou em número de habitantes. São opções políticas, reprováveis.

É aviltante para um autarca, eleito pelos eleitores da sua Freguesia, ver a sua Autarquia sem meios para desenvolver atividades de desenvolvimento da sua Freguesia, ver a sua função reduzida, na prática, a mero pedinte e, na melhor das hipóteses, a mero intermediário dos poderes municipais ou centrais, e mais grave ainda, é ver a sua Freguesia discriminada negativamente. É inadmissível!?!

Muito mais que vontades “agregacionistas”, existem hoje tantos afloramentos “separatistas”, provocados pelo constante descontentamento, que leva a questionar: porque será? Não serão as Freguesias “periféricas” sistematicamente abandonadas ou discriminadas negativamente pelo Poder Municipal? A “culpa” é das Freguesias ou dos Municípios? A culpa é de quem sofre ou de quem discrimina? A história o dirá, como disse num passado bem recente, alguns Municípios portugueses.

Atente-se ao que se passou, recentemente, com o acórdão do Tribunal Constitucional, que admitiu o referendo local em Milheirós de Poaires, para uma consulta popular sobre a possibilidade de mudar do Concelho da Feira para o Concelho de S. João da Madeira. O referendo não será apenas um simples referendo local, pois seguir-se-ão outros, provavelmente, na mesma zona, como será o caso da Arrifana, que também quererá passar para S. João da Madeira ou com Nogueira da Regedoura que quererá passar para o Concelho de Espinho. Este afloramento “separatista”, vai-se fazer sentir noutras zonas mais próximas, como Argoncilhe para o Concelho de Gaia, ou mesmo mais longínquas. Pode ser imparável!

Como se constata, discriminar (negativamente) uma Freguesia pode ser perigoso! Esta disfunção criticável, dos órgãos municipais e sentida pelas Freguesias, pode levar a afloramentos “separatistas”, que não se desejam, mas que poderão ser irreversíveis. Depois, não adianta chorar pelo leite derramado. Será tarde demais!

José Maria Moreira da Silva

Publicidade

moreira.da.silva@sapo.pt

www.moreiradasilva.pt

{fcomment}

Continuar a ler...
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Ano 2012

Verbas da Câmara para as obras da Junta tema da Assembleia

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária de dezembro da Assembleia de Freguesia de S. Romão foram aprovados o Plano de Atividades e Orçamento para 2013.
Informação sobre a reunião do executivo e membros da Assembleia de Freguesia com Joana Lima sobre as “transferências deliberadas em maio de 2009 e destinadas à remodelação da Casa Quinta de S. Romão” provocou divergências.

(mais…)

Continuar a ler...

Ano 2012

Assembleia de S. Mamede – Documentos previsionais aprovados com abstenção do PSD

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária da Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado foram aprovadas, com a abstenção do PSD, as propostas para o Plano de Atividades, PPI, Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013.

O Plano de Atividades, o Plano Plurianual de Investimentos (PPI), Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013 estiveram em discussão na última Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado, que decorreu na quinta-feira, dia 20 de dezembro.

(mais…)

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);