Departamento de formação do Trofense iniciou os trabalhos no complexo desportivo de Paradela.

Os sacos desportivos que se multiplicavam à entrada dos balneários do complexo desportivo de Paradela era uma prova viva da “fome de bola” dos mais pequenos no primeiro dia de trabalho no departamento de formação do Clube Desportivo Trofense, a 1 de agosto.

No entanto, os sacos nem chegaram a ser abertos porque, desta vez, a convocatória serviu apenas para apresentar os novos responsáveis pelas camadas jovens.

Depois de um “contrarrelógio” que obrigou a organizar o projeto de “um ano” em poucos dias, o novo diretor, Marco Carvalho, garante que vai tentar “dar continuidade ao trabalho desenvolvido nos últimos anos”.

As promessas da nova equipa passam por “muito trabalho e dedicação”, rumo ao “objetivo principal de qualquer departamento de formação que é colocar atletas jovens na equipa sénior”.

Por outro lado, a grande aposta deste ano será feita na recriação. De acordo com Marco Carvalho, a intenção é criar polos da Trofintas “em todas as escolas do concelho”.

Com 17 anos de ligação ao clube, Paulo Sampaio, o novo coordenador das camadas jovens, apresentou-se aos atletas e explicou as mudanças que foram introduzidas dada a redução orçamental. Os infantis deixam de ter três equipas (duas de futebol de sete e um de futebol de 11) para serem criadas duas de futebol de onze.

Esta alteração surge na necessidade de os responsáveis gerirem os espaços para os treinos, que também serão em menor número, já que o clube cancelou o aluguer do campo do Grupo Desportivo de Covelas e o do complexo da Abelheira. “O orçamento não permite manter esses espaços”, explicou Paulo Sampaio.

Apesar das mudanças, a filosofia deverá manter-se: “Isto não quer dizer que as equipas serão menos competitivas nem que os jogadores não vão ter um gosto tremendo por jogar no clube”.

 {fcomment}