A consciência de que o futuro não se adivinha fácil não esmorece os elementos dos órgãos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Trofa (AHBVT), que tomaram posse na segunda-feira, 9 de janeiro.

Os objetivos continuam ambiciosos, o que faz com que o mandato da equipa liderada por Pedro Ortiga seja “exigente”. Mas como “o sonho comanda a vida”, o presidente da associação considera que sem estes propósitos “não valeria a pena honrar o passado da AHBVT”, que “se habituou a sonhar e a concretizar no dia a dia todos os sonhos”.

Pedro Ortiga renova o mandato por mais um biénio com saldo positivo. O balanço da primeira experiência como presidente da AHBVT conta com a inclusão na sua frota de três novas ambulâncias de transporte de doentes, um veículo ligeiro de combate a incêndios, requalificação de alguns espaços da sede dos bombeiros, a concretização de um espaço de atendimento ao público e a nova central de comunicações, a intervenção nas instalações da creche e jardim de infância, entre outros investimentos.

Agradecendo aos elementos que deixaram de fazer parte dos órgãos sociais e exaltando a confiança nos que tomam os seus lugares, Pedro Ortiga também não esquece o contributo dos funcionários da associação, pois “sem eles não era possível manter a característica única de ter uma direção também voluntária”. “Agradeço a entrega, a forma atenta e colaborante com que sempre trabalham, pois é esta sinergia que permite quebrar
barreiras”, afirmou.

E uma delas é a crise financeira que assolou o país. As “prioridades” para o novo mandato passam por “continuar a atividade da equipa e valorizar o património, seja técnico ou humano, para manter o nível que a associação já habituou”. A direção da AHBVT pretende ainda garantir um “indispensável” fardamento integral para o corpo de bombeiros, aquisição de equipamentos para o atendimento pré-hospitalar e intervenção nas instalações da associação, nalguns espaços com “carácter de urgência”. São ainda objetivos da direção a requalificação do museu e biblioteca da AHBVT, a elaboração de um plano de segurança e, na creche e jardim de infância, proceder
a algumas obras de requalificação como a substituição do telhado e do sistema de aquecimento e ventilação.

Uma das lacunas que está prestes a ser colmatada é a aquisição de um veículo de combate a incêndios, à qual a associação se candidatou através de fundos comunitários, através do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional). A candidatura prevê que 70 por cento do valor da viatura seja financiada, enquanto os restantes 30 por cento foram assumidos pela autarquia da Trofa. É também objetivo da direção a substituição das ambulâncias com elevada quilometragem e promover a formação do quadro de funcionários e bombeiros. José Miranda, presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito do Porto, apelidou a AHBVT como “casa de saber fazer e trabalhar” onde “a experiência se mistura com a juventude”.

Mostrou “orgulho” por ver Pedro Ortiga na liderança da associação e elogiou “a parceria fantástica” do presidente da direção com o comandante da corporação trofense, João Pedro Goulart. “Os tempos são difíceis, mas não tenho dúvidas que saberão honrar a história da associação e o comendador Amadeu (Castro Pinheiro) que marcou os bombeiros”, frisou.

Amadeu Castro Pinheiro, presidente da Assembleia-geral e com um passado de 31 anos como presidente da direção da AHBVT, sabe da “árdua tarefa” que os órgãos sociais têm pela frente, no entanto não duvida que “este punhado de homens saberão, com empenho, dedicação e esforço, ultrapassar os obstáculos e manter a dinâmica, respondendo a todas as solicitações”.

Com a “convicção de que todos os trofenses vão continuar a poder orgulhar-se da obra” da AHBVT, Joana Lima, edil trofense, afirmou que “a Câmara Municipal estará, como tem estado, ao lado da Associação Humanitária, para, dentro das suas possibilidades, contribuir para o futuro desta instituição”. “Não tenho quaisquer dúvidas de que irão conseguir atingir as metas a que se propõem e que darão provas disso, como já o demonstraram no passado. Que as dificuldades se transformem em oportunos desafios pelos quais valha a pena lutar e trabalhar”, asseverou.

{fcomment}