A APPACDM da Trofa assinalou o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, na quarta-feira, 3 de dezembro, no TrofaShopping.

A recitação de um poema, que aborda os sentimentos da pessoa com deficiência, marcou a cerimónia de abertura do Dia Internacional da Pessoa com De-ficiência, promovido pela APPA CDM – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental – da Trofa.
Ao longo desta quarta-feira, a instituição promoveu várias atividades no TrofaShopping, em S. Martinho de Bougado, com o objetivo de comemorar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Os utentes da APPA CDM participaram nas ativida-des, que passaram pela exposição de trabalhos das diferentes valências, momento de poesia com a recitação de um poema por um utente, expressão corporal com a atuação de jovens com paralisia corporal do CAO – Centro de Atividades Ocupacionais , e reviver de tradições com a atuação do Grupo Folclórico da APPACDM da Trofa.
A coordenadora da APPA CDM da Trofa, Conceição Leitão, gostaria que “este dia e a deficiência, principalmente a intelectual, fosse lembrada nos 365 dias do ano, porque muitas vezes fa-la-se muito e faz-se muito barulho neste dia e depois as pessoas esquecem-se que durante o ano eles continuam a trabalhar”. “Continuamos a lutar para que eles tenham uma qualidade de vida cada vez melhor e muitas vezes isso é esquecido. A nossa pretensão é marcar este dia para que ao menos fique uma lembrança de que estes jovens existem e precisam de todos”, acrescentou.
Inserido nestas comemorações, a APPACDM da Trofa apresentou “uma pequena exposição” para “mostrar às pessoas daquilo que eles são capazes” de fazer. “Muitas vezes as pessoas não acreditam que eles são capazes de trabalhar e de fazer coisas bonitas. Claro que é preciso muita persistência, muito trabalho, muito amor e carinho, mas sentem-se tão felizes quando veem o seu trabalho realizado”, denotou. Para quem trabalha com os “cerca de 80 utentes” que frequentam a APPACDM da Trofa, Conceição Leitão referiu que a sua “paga” são “os seus sorrisos, as suas carícias e as suas meiguices” que dão. “Eles são o nosso orgulho e as nossas medalhas de ouro. Vale a pena trabalhar e investir, pois eles valem todo o nosso amor”, concluiu.