Milhares de trofenses mobilizaram-se no Aquaplace, nos dias 21 e 22 de abril, para participar nas 24 horas solidárias. 1500 euros foi o valor angariado para a ASAS.

A Academia Municipal da Trofa – Aquaplace voltou a ser palco das 24 horas solidárias, que decorreram no fim de semana. Aliar o exercício físico à solidariedade foi o mote lançado pela academia e Câmara Municipal da Trofa, ao convidarem a comunidade a marcar presença nestas 24 horas solidárias. Os participantes tinham que doar um euro, que reverteu a favor da Associação de Solidariedade e Ação Social (ASAS).

Durante a sessão de encerramento, Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, entregou à presidente da associação, Helena Oliveira, um cheque no valor de 1500 euros. Para a presidente da autarquia trofense, esta deve ser “cada vez mais ativa nas questões sociais”, devido “à crise económico-financeira que se abateu sobre o país e o mundo.

“Estas causas têm que ser cada vez mais implementadas e apoiadas pelas autarquias e por outras associações, neste caso pela Trofa-Park Aquaplace. Este ano quisemos contemplar a ASAS. Cada vez mais é nossa intenção, de uma forma muito simbólica mas muito sentida, apoiar estas associações por muito pouco que seja”, afirmou Joana Lima frisando que estas iniciativas incutem nas pessoas a solidariedade, cidadania e a partilha com o próximo. Valores que cada vez mais devem de implementar, apoiar e consolidar.

Joana Lima salientou a importância da continuidade desta iniciativa solidária, pois denota-se que apesar das dificuldades que as famílias atravessam, muitas não deixaram de marcar presença para ajudar nestas causas. Helena Oliveira, presidente da ASAS estava sensibilizada pela atividade, devido “ao grande ato de generosidade” demonstrada pela comunidade que, de alguma forma ou de outra, contribuíram para esta causa.

Independentemente do valor angariado, a presidente da ASAS está grata pela intenção da iniciativa e por terem sido escolhidos para receberem esta dádiva. Helena Oliveira explicou que é com “muita criatividade,  generosidade e com estes atos” que a associação consegue ultrapassar as dificuldades, fazendo o necessário para que as pessoas ajudadas pela associação não sintam os obstáculos. 

Já os 1500 euros angariados, vão ajudar a financiar e a suportar os custos dos diversos projetos. Recorde-se que nas duas edições anteriores, as 24 horas solidárias abrangiam apenas atividades dentro de água. “Este ano foram 24 horas solidárias no Aquaplace, porque o nosso leque de utentes é variado. Da forma como organizávamos a iniciativa, estávamos a colocar de lado os utentes que não gostavam de piscina. Então entendeu-se abrir a todas as atividades, desde aulas de grupo a aulas de spinning”, explicou Artur Costa, diretor desportivo da academia, destacando as aulas entre as 23 e as 2 horas, como as mais preenchidas. 

A par das atividades desportivas, o palco exterior recebeu uma exibição de danças de salão, a atuação do Conjunto Típico do Val, os Alvadance, os Sons e Cantares do Ave e o Grupo Juventude em Força. Paralelamente decorreu ainda uma exposição fotográfica de anfíbios, pela ADAPTA, e uma entrega de prémios aos vencedores de uma prova de natação. Esta festa do desporto, do associativismo e da solidariedade teve o benefício de abrir as portas da Academia Municipal, dando a conhecer a todos os interessados as modalidades e as valências que têm à disposição, ao longo do ano, promovendo, em simultâneo, a prática de exercício físico e a aquisição de hábitos saudáveis, enquanto sensibilizou os presentes para a necessidade de promover a solidariedade e o serviço ao próximo.

Patrícia Pereira
Cátia Veloso

{fcomment}