Segundo o IEFP o desemprego registou em Julho uma queda de 10,8 por cento, relativamente ao mesmo período do ano passado. Contudo a região norte continua a ter números assustadores de pessoas à procura de emprego.

  O Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) anunciou, na passada sexta-feira, dados que revelam que o desemprego baixou 10,8 por cento em Julho, face a igual período do ano, o que perfaz ao 17º mês consecutivo de queda. No fim de Julho encontravam-se inscritos nos Centro de Emprego do Continente e Regiões Autónomas 389.571 desempregados, menos 47.330 indivíduos que no período homólogo de 2006.

A queda do desemprego foi mais representativa nos homens, 15 por cento, do que nas mulheres, 7,8 por cento,  enquanto que relativamente às faixas etárias, nos jovens, com menos de 25 anos, o desemprego caiu 10,3 por cento e nos adultos registou uma queda de 10,9 por cento.

Segundo o IEFP o índice de desempregados à procura do primeiro emprego subiu 7,3 por cento para 32.085 indivíduos, enquanto que a procura de novo emprego desceu 12,2 por cento para 357.486 pessoas.

Cinco das sete regiões do país registaram queda de desemprego à excepção das Regiões Autónomas de Açores e Madeira, que registaram um aumento de 11,4 por cento.

A redução homóloga mais significativa registou-se na Região de Lisboa e Vale do Tejo, com um decréscimo de 12,6 por cento do desemprego.

As ofertas de emprego nos Centros do IEFP subiram 35,4 por cento para 15,895 no final de Julho, com um aumento acentuado no Alentejo (75,5 por cento).

Já de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), o norte do país continua a ser a região onde flagelo do desemprego é mais significativo. No segundo trimestre deste ano, registou-se uma taxa de desemprego de 9,4 por cento, mais um ponto percentual que em período homólogo do ano passado e menos 0,1 por cento que no primeiro trimestre de 2007. Dados do IEFP afirmam que a zona Norte tem, actualmente, 176.621 desempregados, em que 107 mil são do sexo feminino e quase 70 mil (68.949) são indivíduos do sexo masculino.

Relativamente à Área Metropolitana do Porto, Vila Nova de Gaia é a cidade com o índice mais alto de desemprego com 19.771 indivíduos. A maior parte pertence ao sexo feminino, 11.944, enquanto que 7.827 são do sexo masculino. Também a maior parte de desempregados têm idades compreendidas entre os 35 e os 54 anos (9.333) e não têm mais que o ensino básico (7460).

Santo Tirso e Trofa têm neste momento 5971 pessoas sem emprego. É o sector têxtil que mais contribui para o aumento do índice de desemprego nestas cidades.

Na cidade do Porto existem 12.607 pessoas à procura de emprego, sendo 6229 do sexo masculino e 6378 do sexo feminino. O IEFP avança ainda que 1479 desempregados do Porto têm menos de 25 anos, sendo a faixa etária que compreende as idades entre os 35 e os 54 anos é a mais afectada com 5.576 pessoas sem emprego.

De salientar também o elevado números de inscritos nos Centros de Emprego nos concelhos de Gondomar (9558), Matosinhos (7508), Maia (7508).

O distrito de Braga regista neste momento 7.523 desempregados, fruto do encerramento de várias fábricas têxteis. Na cidade de Guimarães o número de desempregados ultrapassa os dez mil e em Vila Nova de Famalicão 6.761 pessoas estão inscritas nos centros de emprego.