Esculturas de madeira, "onde a matéria das árvores é trabalhada de dentro para fora criando uma outra natureza, a arte". Estas são algumas das palavras usadas pelo pintor Alberto Carneiro para definir a obra de De Velasco, um escultor natural do Muro, e cuja obra poderá ser apreciada até 9 de Setembro.

  Alberto Carneiro é um dos amigos de escola de De VelascoDomingos Fonseca, ou De Velasco, nome pelo qual é mais conhecido no mundo da arte, é o escultor Murense, que vê até ao dia 9 de Setembro na Escola EB1 do Muro , a sua obra exposta.

No passado dia 31 de Agosto, data da abertura da exposição, estiveram presentes vários amigos de escola do escultor, entre os quais se destaca o famoso pintor natural de S. Mamede do Coronado, Alberto Carneiro, Professor na Faculdade de Arquitectura do Porto e pintor.

O trabalho do escultor a quem Alberto Carneiro apelidou de "autodidacta", foi tema de uma conversa, estabelecida ao inicio da noite, entre Alberto Carneiro e o público presente. "Falar para pessoas que não estão iniciadas na arte, é difícil", asseverou Alberto Carneiro, natural de S. Mamede do Coronado, em entrevista ao NT. O professor referiu ainda, "o esforço pedagógico que temos de fazer, para que as pessoas possam alargar o seu campo de compreensão através da arte", mas no fundo, "é tudo uma questão de cultura, de sensibilidade e iniciação às coisas".

Quando questionado sobre as obras de De Velasco, o professor descreve-o como "um artista que acrescenta algo àquilo que já foi dito", apesar de ter sido um autodidacta e de "não ter passado por escolas de arte, nem ter feito uma formação académica, teve um aprendizado na Oficina de Santeiro, que fez dele o artista que é hoje".

Após a longa conversa sobre as questões controversas que a arte pode suscitar, seguiu-se o momento de abertura da exposição. As esculturas expostas, eram na sua totalidade compostas por madeira, e esta forma peculiar de trabalhar as árvores surpreendeu muitos dos visitantes da exposição.

Carlos Martins, presidente da Junta de Freguesia do Muro, fez questão de evidenciar esta "manifestação cultural", que segundo ele, tem como principal objectivo "ajudar a população, para que possam aprender a gostar da arte, para a saberem apreciar".

De referir ainda que, esta exposição, com entrada livre, estará patente na Escola EB1 do Muro, aos sábados e domingos das 15 às 23 horas, e de segunda a sexta-feira, das 20 às 23 horas até ao dia 9 de Setembro e é uma organização da Junta de Freguesia do Muro.