marco-silva 

Guidões: Marco Silva candidata-se pelo CDS-PP para “elevar a qualidade de vida dos habitantes de Guidões”

Notícias da Trofa – O que o leva a candidatar-se à Assembleia de Guidões?

Marco Silva – Guidões merece mais e melhor. Há a tendência, ao nível autárquico, de relegar a resolução dos problemas dos guidoenses para último lugar, no espectro mais alargado que é o concelho da Trofa. E Guidões, infelizmente, não tem neste momento uma voz que se faça ouvir ao nível concelhio, nem tão pouco uma mão que, localmente, seja capaz de conduzir os destinos da freguesia.

Ora, não me posso conformar com este estado inanimado. Guidões necessita, sobretudo, de obra, e essa é a minha vontade. Como tal, manifesto a minha vontade inequívoca de participar activamente na política local e, modestamente, contribuir para que os jovens de Guidões façam o mesmo, desenvolvendo-se como pessoas activas e conscientes da importância que têm, fomentando o crescimento da freguesia, de forma sustentada e continuada, levando o seu impacto até às próximas gerações. Estou, pois, em crer que a minha candidatura terá um impacto positivo em Guidões, e na visão que os guidoenses perspectivam para o seu futuro.

 

NT – Quais são os projectos que vai apresentar para o mandato?

MS – A freguesia apresenta carências várias e diversificadas, as quais necessitam de ser supridas num curto espaço de tempo. A distância a que se encontram a maior parte dos serviços essenciais, afecta gravemente a população de Guidões, especialmente os mais idosos, que frequentemente apresentam dificuldades de locomoção sérias: tal deve ser corrigido com urgência, pois no mesmo concelho não podem existir cidadãos de primeira e cidadãos de segunda, consoante a freguesia em que residam. Por outro lado, em termos de educação existem dois pólos de ensino básico, o que, só por si, não se pode considerar motivo de satisfação para as novas gerações. Pode e deve ser feito um trabalho de diversificação das experiências e enriquecimento de aprendizagem em diversos sectores, em complemento ao modelo clássico de funcionamento da escola. O fomento da formação de excelência está presente na cultura dos guidoenses, e é com a introdução de actividades competitivas e saudáveis, a par da criação de quadros de excelência que distingam os melhores alunos, que podem crescer os padrões de ensino actuais. Devo ainda dizer que me preocupam, sobremaneira, os recursos hidrológicos, por serem de extrema importância. Tem vindo a ser feito algum esforço na sua manutenção, o que constitui um percurso correcto, mas tal não é suficiente. A água é, cada vez mais, um recurso natural essencial, carecendo a freguesia de optimizar a sua distribuição e tratamento, atenta a necessidade da mesma para a agricultura. Refira-se ainda que a freguesia é dotada de um património cultural que permite introduzir novas actividades de lazer que devem ser exploradas. O facto de Guidões conciliar o progresso e modernidade com a tradição e uma certa ruralidade, pode proporcionar o incremento de actividades turísticas, nomeadamente novas linhas de actividade lúdica, o que economicamente permitiria uma auto-sustentação do património cultural colectivo.

NT – Qual o projecto ou área prioritária caso seja eleito?

MS – O aproveitamento dos recursos hídricos e do património é uma definição de futuro, pelo que pretendo dar prioridade à defesa intransigente, em todas as estâncias de freguesia e concelhias, ao desenvolvimento sustentável de Guidões. A par desse desígnio, permita-me sublinhar que a agricultura em Guidões tem, ao longo do tempo, perdido a força laboral de outrora, mas nem por isso a podemos subvalorizar, pois a história da localidade está intimamente ligada à mesma. Por essa razão, proponho a criação de um gabinete, ao nível da Junta de Freguesia, apenas dedicado à procura de respostas e apoio aos agricultores de Guidões, que bem merecem a nossa estima e o nosso trabalho em seu prol.

 

NT – Porque é que os eleitores devem votar em si?

MS – Os eleitores que optem conceder-me o privilégio da sua confiança, não estarão a votar apenas em mim, mas sim num conjunto alargado de pessoas focadas em participar (e fazer com que todos participem) activamente nas decisões do futuro da freguesia e determinadas em elevar a qualidade de vida dos habitantes de Guidões. Ao encabeçar a lista do CDS-PP às eleições para a Assembleia de Freguesia de Guidões, procuro dar corpo e voz a um projecto delineado única e exclusivamente em função da freguesia e dos seus habitantes.

 

NT – Considera mais fácil governar sendo a Câmara e a Junta de Freguesia do mesmo partido político? Porquê?

MS – É naturalmente fácil encontrar argumentos que suportam uma governação e plano de crescimento estáveis quando ambas as instituições são governadas pelo mesmo partido político. Porém, havendo vontade e empenho nos membros eleitos para a governação da Junta de Freguesia de Guidões, nunca os desígnios da freguesia poderão soçobrar. De mim e da lista que encabeço nestas eleições autárquicas, podem levar mais esta certeza: não nos deixaremos instrumentalizar ou amedrontar pelo poder exercido ao nível Concelhio. Existem regras democráticas que respeitamos e que exigimos que os outros respeitem, para além de existir a Lei, à qual toda a actividade política se deve submeter. Acreditamos, ainda assim, que do debate de diferentes pontos de vista políticos vive a democracia, e das boas relações entre instituições vive a estabilidade e o crescimento de Guidões.