DançasOcultas  12

Na chuvosa noite de 2ª feira o quarteto Danças Ocultas rumou até à Casa da Música para o primeiro espetáculo comemorativo dos seus 25 anos de carreira (no dia seguinte seria a vez da capital receber os artistas no CCB).  

Ao longo das últimas décadas o grupo formado por Artur Fernandes, Filipe Cal, Filipe Ricardo e Francisco Miguel tem conseguido desbravar caminhos novos para o seu instrumento de eleição. O quarteto, reconhecidamente responsável por ter resgatado ao folclore tradicional o acordeão diatónico, instrumento do século XIX, que só foi popular, e obrigatório nos bailes, enquanto a rádio e a música gravada eram novidades, tem vindo a apresentar ao longo da carreira propostas que cada vez mais os aproximam da estética da música de câmara, reinventando as suas criações musicais.

Como que a comprovar este lado mais intimista e com características de música de câmara o quarteto fez-se acompanhar da sessão de instrumentos de cordas da Orquestra Filarmonia das Beiras para o espetáculo no Porto.

Ao longo de duas horas o público presente teve a oportunidade de se deliciar com uma viagem feita ao longo de melodias intensas e cheias de materialidade, mas simultaneamente, de uma leveza típica das bandas sonoras dos dias fluídos. Vários temas da carreira do quarteto foram revisitados, sempre na companhia da Orquestra Filarmonia das Beiras (exceção feita a Esse Olhar).

Carminho, Rodrigo Leão e Dead Combo foram os convidados deste espetáculo tão especial, muito aplaudido e apreciado por aqueles que encheram a Sala Suggia da Casa da Música.

Carminho subiu ao palco vestida de vermelho, e encantou com o extraordinário Diabo Tocador, uma versão de uma melodia tradicional, A canção da roda, criada a pensar na voz grave da fadista. Rodrigo Leão, que surgiu em palco por duas vezes, tocou Dança D’Alba e Tardes de Bolonha. Aos Dead Combo ficou a dever-se a participação em 4 temas: Alento, Esse Olhar  (o único tema que que dispensou a companhia da orquestra), Casa do Rio e Dança II.

 Uma noite muito especial para os músicos em palco e para o público, que deu mostras do seu contentamento ao exigir as músicas do encore.

Alinhamento

4 Ilusões
Héptimo
Tarab
Bulgar
Dança D’Alba
Moda Assim ao Lado
Pandora
Alento
Esse Olhar
Diatónico
O Diabo Tocador
Tristes Europeus
Tardes de Bolonha
Casa do Rio
Dança II
No(c)turno das 7
Contradança
Queda D’água
Diatónico

Texto: Joana Vaz Teixeira
Fotos: Miguel Pereira

Fotogaleria (Clica nas imagens para aumentar)
{phocagallery view=category|categoryid=101}