doresmachado.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois de se ter filiado no CDS/PP, Maria das Dores Machado apoiou Ribeiro e Castro no Congresso da Batalha e acabou por se tornar vogal da Comissão Politica Nacional dos Centristas, enquanto Jorge Curval foi eleito membro do Conselho Nacional

Maria das Dores Machado e Jorge Curval fazem parte dos órgãos Nacionais do CDS/PP, depois de terem sido empossados no XXI congresso extraordinário do CDS, que decorreu no passado fim-de-semana na Batalha.

, depois de ter concorrido, nas ultimas autárquicas como independente apoiada pelo CDS/PP à presidência da Câmara Municipal da Trofa. Recorde-se que Dores Machado foi durante quatro anos a única representante independente, eleita nas listas do CDS na Assembleia Municipal da Trofa.

O também trofense Jorge Manuel Curval foi eleito membro do Conselho Nacional do CDS no ultimo Congresso Extraordinário da Batalha, que acabou por confirmar Ribeiro e Castro na presidência do partido.

O líder do CDS-PP, José Ribeiro e Castro, pediu ao congresso que se criassem «as condições políticas» quer lhe permitam realizar o seu mandato até 2008, sublinhando que «não pode haver trincheiras» em nenhum órgão do partido.

Num balanço do seu primeiro ano de mandato, Ribeiro e Castro considerou que «o partido está hoje muito melhor do que há um ano» e deu como exemplo as várias candidaturas a este congresso.

O discurso, aplaudido de pé por muitos congressistas, não mereceu, contudo, grandes elogios da parte do líder parlamentar.

Nuno Melo considerou a intervenção de Ribeiro e Castro «vaga», dizendo que «não tocou em pontos fundamentais», mas admitiu que tal se ficou a dever «a falta de tempo de discurso».