Causa Maior é o nome do projecto que rendeu à Cruz Vermelha da Trofa vários equipamentos ortopédicos para a população sénior do concelho. A campanha iniciada pelos hipermercados Modelo na época natalícia com a venda do livro Sabores de Natal da Popota terminou com a entrega dos materiais na instituição, esta terça-feira.

 

cruz-vermela-(11).jpgCinco cadeiras de rodas, seis colchões anti-escaras, cinco andarilhos, três assentos anti-escaras para cadeira, quatro assentos anti-escaras para cadeiras em gel, duas camas hospitalares bi-partidas completas e duas camas hospitalares tripartidas completas. Este foi o material ortopédico entregue à delegação da Trofa da Cruz Vermelha, resultado da campanha Causa Maior iniciada pelos hipermercados Modelo no Natal.

A iniciativa angariou, por todo o país, 330 mil euros que estão a ser distribuídos pelas 93 localidades onde os hipermercados Modelo estão presentes. Rui Oliveira, director da Loja Modelo da Trofa, mostrou-se satisfeito com o resultado da campanha: "Juntos cruzamos uma preocupação comum, a de contribuir para o bem estar da comunidade, indo ao encontro dos que mais precisam de apoio. Por isso, partilhamos hoje o sucesso do projecto causa maior", afirmou.

Já Odete Pedroso, responsável pelo núcleo da Trofa da Cruz Vermelha, acolheu de braços abertos esta campanha e os materiais ortopédicos entregues pelo Modelo. Agora os novos equipamentos servirão para ajudar os que mais precisam: "Sempre que as pessoas precisem de uma cama, uma cadeira de rodas ou um andarilho, a Cruz Vermelha quase sempre tem para ajudar e neste momento esta oferta foi uma mais valia, porque eu só tinha duas camas que estão para consertar", explicou a responsável. No entanto, Odete Pedroso acrescentou que "quem poder pagar, é uma pequena ajuda para a Cruz Vermelha, um valor simbólico".

Com camas e materiais ortopédicos espalhados um pouco por todo o concelho, a Cruz Vermelha fez o apelo: "Eu tenho camas emprestadas há cerca de oito anos e que nunca mais as vieram entregar, mas agora vou mandar uma técnica a essas casas para ver se as camas estão a ser utilizadas ou não, porque acontece que as pessoas deixam as camas guardadas, sem utilização e há quem precise delas. As pessoas até que tenham estes materiais em casa e que não precisam podem trazê-los para a Cruz Vermelha, nós aceitamos".

O objectivo do Modelo com esta iniciativa era ajudar a população sénior, preocupações também partilhadas pela Cruz Vermelha Portuguesa.

Com a venda do livro "Sabores de Natal da Popota", por apenas dois euros, muitos foram os que contribuíram com um euro para esta Causa Maior. A campanha contou ainda com o apoio da apresentadora de televisão Sónia Araújo, embaixadora do Modelo para esta causa e da RTP, que realizou a Gala da Causa Maior, apresentada por várias caras da RTP, nomeadamente Catarina Furtado e Diogo Infante, Tânia Ribas de Oliveira e João Baião entre muitos outros.

Cruz Vermelha com novas instalações

"Já há muito que queria ter umas instalações próprias para a Cruz Vermelha", afirmou Odete Pedroso. O desejo tornou-se realidade e as mudanças estão já a decorrer. O novo espaço do núcleo da Trofa da Cruz Vermelha será inaugurado em Setembro deste ano e está localizado no Edifício Parque das Camélias, junto às anteriores instalações no Edifício Monge Pedro.

A diferença, para além do espaço disponível é estarem instalados num espaço próprio, porque como explicou a responsável ao NT "estávamos numas instalações muito pequenas e o espaço era alugado. Começamos a pensar que com o dinheiro que estávamos a gastar podíamos comprar as novas instalações". Depois de pedir várias ajudas e de falar com a Direcção da Cruz Vermelha, Odete Pedroso conseguiu adquirir o espaço e combinou com a direcção da instituição "pagar o espaço dentro de três anos e ainda vou pedir ajuda a muita gente e vamos conseguir arranjar quem nos ajude a pagar o espaço", frisou.

Para além de um amplo espaço para guardar os materiais recolhidos pela instituição, nas novas instalações existem ainda gabinetes de trabalho para as psicólogas e socióloga que colaboram com as causas da Cruz Vermelha e ainda "a lojinha para vender as pequenas prendinhas que fazemos, porque com muitos bocadinhos realizamos algum dinheiro e se não fizermos nada, nada temos", reiterou a responsável.