quant
Fique ligado

Edição 677

Crónica Verde APVC: Zurra visto por Ernestino Maravalhas

Publicado

em

Desta feita, esta coluna abraça um especialista em assuntos relativos ao conhecimento e à conservação da biodiversidade em Portugal, o grande Ernestino Maravalhas. A APVC assinala e agradece a sua cativante participação na secção literatura da ZURRA 2018, com exposição literária e palestra. Ele que, dias antes (18 e 19 de Setembro), foi um dos oradores no Encontro “Bring Bugs Back to LIFE”, em Edimburgo, Escócia. Acreditamos que a crónica do Ernestino vai ajudar a mudar mentalidades.

«A “Zurra – festa do burro” é um evento deveras interessante, uma vez que se realiza num espaço rural ativo e combina diversas ações em áreas tão distintas como música, atividades performativas, literatura, fotografia, divulgação do património natural e, claro, mostrar o que são os burros, como se relacionam com o ser humano e como será o seu futuro. A quinta edição pareceu-me madura e mostrou um universo diversificado, que é o mundo em que vivemos, sempre com a Natureza como mote (a espécie humana é um elemento integrante dessa Natureza).

Após 20 anos de participação em eventos ligados ao património natural, vejo aqui uma oportunidade das gentes do Coronado chamarem a atenção para uma região onde a biodiversidade ainda povoa campos e trilhos rurais, bem como aos agentes culturais, como a banda D’ Alba, que deu um espetáculo emocionante, do qual destaco a música “Nuvem”, que, sendo ligeira, tem complexidade harmónica e rítmica e a melodia nos faz sentir um calafrio, dada a beleza e emoção que encerra. Uma mostra de fotografia de Fernando Ferreira transportou-nos para o microcosmos da bicharada miúda, onde os insetos, os anfíbios e os répteis se destacam. Embora a maioria das fotos provenha de outros lugares, os animais ali mostrados encontram-se no Vale do Coronado e a exposição acabou por se transformar num cartão de visita, uma montra da biodiversidade da região. Os burros e os famosos caretos, “máscaras rituais” de Vila Boa de Ousilhão, Vinhais, diversificaram os participantes e mostraram que as tradições, em Portugal, ricas em cor e texturas, estão para durar!

A presença de organizações ligadas ao ambiente e à sua proteção, com relevo para as alterações climáticas, provaram que a festa não é só alegria, é preciso informar as pessoas para os perigos que o plante corre. A minha participação visou mostrar os três guias que produzi: “As Borboletas de Portugal, As Libélulas de Portugal” e os “Anfíbios e Répteis de Portugal”. Estes guias de campo são uma referência no nosso país, pelo conteúdo gráfico, o rigor científico, a facilidade de leitura e assimilação de conteúdos. Uma conversa sobre anfíbios e répteis deu a conhecer o livro mais recente – editado em 2018 – que trata animais tão belos e frágeis como ameaçados: cerca de 70% dos anfíbios do Mundo encontram-se em risco de extinção e as espécies portuguesas seguem o mesmo padrão. Também foi possível mostrar os três romances que a escritora Adnilo Lotus de Carmim produziu; um deles, “Os Lírios da Vida”,foi prémio Papiro, em 2008.

Numa parte do espaço rural, foi possível degustar algumas iguarias da nossa gastronomia, tais como as saborosas bifanas e também foi possível mitigar o calor abrasador, com bebidas frescas. A APVC, com esta festa, consegue, ano após ano, trazer cor, alegria, cultura e gente ao lindo Vale do Coronado, uma região que tem muito para descobrir. A proteção e divulgação do burro acabaram por servir de mote a um evento diversificado que permitiu a adultos e a numerosas crianças, desfrutar de um espaço magnífico e de um domingo inesquecível. A diversidade e a qualidade dos participantes nesta festa auguram um futuro promissor, que os locais – e não só – deverão explorar para divulgarem o património na sua multidisciplinaridade. Pela minha parte, espero poder vir a contribuir para a consolidação da festa e da divulgação da região. Palavra de burro!»

Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 677

Estudantes russos conhecem Escolinha de Rugby

Publicado

em

Por

Foi como modelo de inclusão que a Escolinha de Rugby da Trofa se apresentou a uma comitiva russa de professores e jovens universitários, do curso de Empreendedorismo Social. A visita aconteceu no dia 21 de setembro e surgiu de um desafio lançado pela Área Metropolitana do Porto.

“Esta viagem teve o alto patrocínio da Universidade Estatal e do Presidente da Rússia e trouxe até à Trofa alunos provenientes de várias cidades daquele país (Moscovo, Rostov, Novosirbisk e Volgogrado)”, explicou Ricardo Costa. O responsável da Escolinha de Rugby referiu ainda que a visita a Portugal serviu para o “enriquecimento académico dos estudantes”, relativamente às “boas práticas de inovação social”.

“Desde a sua inauguração, em dezembro de 2013, a Escolinha de Rugby já recebeu a visita de instituições espanholas, irlandesas e russas que vêm até à Trofa conhecer um projeto considerado inovador e que é cada vez mais um exemplo de boas práticas sociais”, concluiu.

Continuar a ler...

Edição 677

Bianca é a nova amiga do Trofi (c/ vídeo)

Publicado

em

Por

Bianca foi o nome escolhido para a mais recente mascote do Clube Slotcar da Trofa. No sábado, dia 29 de setembro, o novo tigre-de-bengala branco da associação foi apresentado ao público mais jovem.

A nova amiga do Trofi vem complementar a história da mascote do Clube. “A ideia surgiu da necessidade de o Trofi, que já está crescido, ter uma namorada e assim alargamos o âmbito das nossas mascotes para um lado mais feminino, porque o Clube não é feito só de homens. Queremos que essa representatividade de géneros também esteja presente”, disse o vice-presidente do Clube Slotcar da Trofa, João Mendes.

Marisa Coutinho, responsável da empresa Boomer, afirmou que “a ideia é que a Bianca seja uma embaixadora da própria espécie, que consciencialize as pessoas para o risco de extinção da mesma e para a importância de preservarmos as espécies”.

A Quintinha da Susana, em Cidai, foi o local escolhido pela associação para apresentar a nova mascote, sendo que a festa conseguiu reunir várias crianças do concelho da Trofa, animando-os com um insuflável, pinturas faciais e um espetáculo de ballet de bailarinas da escola Passos de Dança. E até a Bianca mostrou os seus dotes na dança.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também