Os cristãos ortodoxos da paróquia de Santa Catarina-Trofa celebraram na noite de domingo, dia 6 de janeiro, o nascimento de Jesus.

 Num ambiente festivo e solene, meia centena de cristãos ortodoxos celebraram o nascimento de Jesus em Dia de Reis, através de uma eucaristia cantada e 12 pratos de peixe, que compõem a Ceia de Natal.

Cristãos e fiéis ao mesmo Deus, os ortodoxos distinguem-se dos católicos pelas cerimónias e ritos litúrgicos. A Igreja Ortodoxa é fiel ao calendário juliano, criado por Júlio César (em 46 antes de Cristo), que tem mais 14 dias do que o calendário gregoriano, adotado pelos católicos apostólicos romanos. Isto significa que o dia 25 de dezembro do calendário pelo qual se guiam os católicos apostólicos romanos corresponde ao dia 7 de janeiro do calendário pelo qual se guiam cristãos ortodoxos. Esta é uma entre várias diferenças.

Na véspera de Natal, as crianças andam de porta em porta a entoar cânticos da quadra festiva, anunciando que Jesus vai nascer nessa noite. Antes da cerimónia religiosa, que corresponde à Missa do Galo católica, os ortodoxos cumprimentam-se dizendo que “Jesus vai nascer”. Já durante a cerimónia religiosa, tanto o pão (sem fermento e sal) como o vinho, utilizados durante a Consagração, são, previamente, cozidos/fervidos pelo sacerdote. No final, quando o sacerdote se despede profere o cumprimento “Jesus Nasceu”, que é usado pelos ortodoxos durante os três dias de festa.

Depois de uma missa preenchida pelos muitos cânticos, prossegue-se a Ceia de Natal que, contrariamente à dos católicos, é composta por 12 pratos de peixe, que representam cada um dos apóstolos. Não pode ainda faltar o alho, a cebola, o sal e o pão, símbolos de riqueza e prosperidade na Igreja Ortodoxa. O doce “kuya”, espécie de arroz doce com ameixa esmagada e uvas passas, está presente nas mesas.

Já no dia de Natal e nos dois dias subsequentes, os almoços e jantares dos cristãos ortodoxos são à base de carne fumada.

{fcomment}