rancho-infantil

Reavivar usos e costumes de outros tempos em Santiago de Bougado é o objectivo do Grupo Folclórico Infantil da Escola de Cidai que comemorou 14 anos a dançar e a cantar tradições. A festa na Quinta da Nossa Senhora da Alegria, no passado sábado, juntou pais, alunos e professores que estão associados ao projecto.

Há 14 anos que a Escola Básica de Cidai incute nos mais pequenos o gosto pela divulgação dos usos e costumes da terra. Os meninos e meninas que frequentam a escola durante os quatro anos de ensino básico têm a oportunidade de recordar as tradições dos seus antepassados: dançam, cantam e envergam os trajes de antigamente.

Beatriz Freitas, João Dias e Rita Carvalho fazem parte deste grupo há quatro anos e no final deste ano lectivo terminam a sua participação no Rancho Infantil, mas garantem que gostam de “cantar, dançar e conviver”.

Só os alunos do primeiro ciclo da EB1 de Cidai fazem parte deste projecto. Assim que completam o 4º ano de escolaridade saem do Rancho, mas não esquecem “os bons momentos”.

Margarida, já com 11 anos, também esteve na festa de aniversário do Rancho do qual já fez parte um dia, actuou durante os quatro anos que esteve na escola e recordou que “o melhor era poder conviver com os amigos”, ao mesmo tempo que fazia uma actividade que gosta: “dançar e cantar”. Um ano mais velho, Hugo também foi membro durante quatro anos e recorda os tempos no Rancho Infantil com nostalgia. “No Rancho fiz muitas amizades, convivi com os amigos e aprendi os costumes da terra e a dançar”, afirmou.

Os pais também são parte integrante do projecto e acompanham os filhos em todos os passos, de acordo com Susana Costa, presidente da Associação de Pais da escola. “No Rancho aprendem a enfrentar o palco e as pessoas, também aprendem muito com isso e além disso não se perdem os costumes”, disse ao NT.

Jacinta Serra, Amândia Costa e Helena Reis, docentes do primeiro ciclo na Escola de Cidai há mais de 30 anos, são as mentoras do projecto. Mesmo depois de aposentadas seguem com as cantorias e as danças e continuam a ensinar as crianças. “Tudo começou com uma necessidade, porque Cidai é uma aldeia com usos e costumes muito próprios e com uma comunidade muito unida e estávamos as três colegas, eu a professora Amândia Costa e Helena Reis na Escola de Cidai e em conjunto com os pais seria importante fazermos algo para que os meninos conhecessem os usos e costumes da terra”, recordou Jacinta Serra. Assim, surgiu o Grupo Folclórico Infantil da Escola de Cidai que começou com música ao vivo, no entanto “começou a ser difícil conciliar os horários dos tocadores e dinheiro para lhes pagar”. As professoras e os pais não deixaram morrer o projecto e os meninos e meninas gravaram um CD com as músicas que utilizam ainda hoje para dançar nos espectáculos, mas, de acordo com Jacinta Serra, as crianças entusiasmadas com as actuações “também cantam”.

Passados 14 anos de ensaios e espectáculos com crianças diferentes a integrar o Rancho todos os anos, o balanço é “muito positivo”, porque “o importante é o convívio que temos com as crianças, eles conhecerem os usos e costumes dos antepassados e o convívio saudável também com os pais”, acrescentou a professora.

O Grupo Folclórico Infantil da Escola de Cidai tem neste momento 24 componentes, são 12 meninos e 12 meninas que levam mais longe o nome da aldeia de Cidai, da freguesia de Santiago de Bougado e do concelho da Trofa. Isto porque, ano a ano vão surgindo cada vez mais actuações. Nos ensaios a exigência está à altura dos mais pequenos: “dançam, cantam e aprendem jogos tradicionais e outras coisas do passado e para preparação das actuações e dos cantares de boas festas pelas empresas e restaurantes da região”.