A primeira pedra da Creche e Jardim de Infância da Santa Casa da Misericórdia da Trofa foi lançada este sábado, na freguesia de S.Romao do Coronado por José Vieira da Silva, Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social. Ao abrigo do Programa Pares, lançado pelo governo, o ditrito do porto vai ser dotado, numa primeira fase de mais 32 equipamentos de apoio à primeira infância.

   " Esta é uma das primeiras pedras lançada para a construção de uma creche no Ambito do projecto Pares e tem para mim um valor simbólico". Foi desta forma que o Ministro se refereiu à cerimonia que marca o arranque da obra de construção da Creche e Jardim de Infancia de S. Romao do Coronado, um projecto da Santa Casa da Misericiordia da Trofa, financiado pelo programa Pares em 180 mil dos 800 mil euros necessários para que a obra possa, em Setembro de 2008, abrir portas para receber as crianças no inicio do ano lectivo.

Esta nova valencia vai labergar crianças dos "quatro meses aos cinco anos de idade, mas só a parte da creche é financiada pelo Estado", afirmou Amadeu Castro Pinheiro, Provedor da Santa Casa da Misericordia da Trofa. O Provedor adiantou ainda que "o restante financiamento terá de ser a Misericórdia a assumir". No entanto a autarquia da Trofa garantiu que "vai financiar em 30 por cento o valor do investimento" adiantou o presidente da Câmara durante a cerimónia.

O projecto cujas obras arrancaram esta semana, vai permitir albergar 130 crianças e está dotado de berçario para a creche, salas de jardim de infancia, cozinha, refeitorio e diversas valencia para apoiar as crianças que já a partir de Setembro de 2008 vão ingressar na instituição.

Por seu lado guilherme Ramos, presidente da Junta de Freguesia lembrou a antiga proprietaria daquele espaço, Alzira dias Moreira, que doou à Santa Casa da Misericórdia estes terrenos, para a construção de um Centro de Dia. No entanto a decisão saiu ao contrario e acabamos por ver agora nascer aqui uma estrutura vocacionada para as crianças", afirmou o autarca.

"Esta é uma obra que não é para se ir fazendo, é uma obra que é para ser feita muito rapidamente e vai satisfazer uma carência muito grande , portanto temos de nos sentir extremamente felizes, é para isso que cá estamos, é para sensibilizar os mais altos responsáveis para que realmente se vá dando resposta à chegada das famílias que optam por S. Romão do Coronado em particular", frisou.

Na primeira fase a dotação global que foi atribuída ao distrito do Porto rondou os 10 milhões de euros, e na segunda fase rondará os 15 milhões de euros, apenas da parte de investimento público, "o que quer dizer que teremos largas dezenas de novos equipamentos e só na área das creches, mais 32 creches neste distrito", adiantou o Ministro

Quanto à possibilidade de a Trofa vir a usufruir de mais financiamentos para projectos desta natureza o Ministro mostrou-se confiante "espero que o concelho da Trofa tenha mais um investimento na fase do PARES 2, nomeadamente nesta área da primeira infância, já que este é um um concelho que está de facto carenciado, que tem níveis de cobertura inferiores àqueles que são já a média do país ou mesmo do distrito e portanto justifica-se que haja aqui mais um esforço porque desde que sejam apresentados os projectos adequados e com a qualidade respeitando os indicadores sociais, justifica-se que aqui sejam localizados mais equipamentos desta natureza", concluiu.

Quanto à possibilidade de instituições privadas recorrerem também ao financiamento para a criação de novas estruturas na área da primeira infancia, o ministro deixou a porta aberta. Recorde-se que nesta primeira fase apenas instituições de Solidariedade Social publicas, e instituições sem fins lucrativos e a Santa Casa da Misericordia puderam concorrer a financiamentos.

Questionado sobre se sentia ou não os maus cheiros provenientes da Savinor o ministro afirmou desconhecer o assunto mas grantiu "levo o cheiro que se faz sentir agora, para Lisboa", ironizou.