"A CCDR Norte não recebeu nenhuma queixa de que a Savinor continua a laborar ao fim-de-semana". Quem o diz é Paulo Gomes, vice-presidente da CCDR Norte em declarações ao NT, esta terça-feira, à margem do seminário que decorreu em Vila Nova de Famalicão, sobre as alterações ao Regime Jurídico dos Instrumentos de Gestão Territorial. O Ministro do Trabalho José Vieira da Silva comentou, à margem da visita que fez no passado sábado a S. Romão "levo comigo o cheiro", referindo-se ao forte odor que durante a manha se fez sentir naquela localidade.

  O vice-presidente da CCDR Norte confirmou ao NT que "tivemos a iniciativa de contactar a Câmara da Trofa, que não confirmou o funcionamento desta unidade ao fim-de-semana. Nesse sentido, nós mantemos o protocolo que estabelecemos com a Savinor, e o protocolo consiste na implementação de um sistema de melhorias que têm de ser desencadeadas até ao final do ano, sob pena da Savinor ser coagida ao encerramento provisório das suas instalações até à obtenção plena dessas condições de laboração e que minimizam em boa parte os odores que hoje se sentem na zona envolvente", frisou o responsável.

A CCDR Norte fez este ano duas vistorias à Savinor, "vistorias essas acompanhadas pelos responsáveis das autarquias da Trofa, Santo Tirso e Maia e pela Direcção-geral de Agricultura e já está agendada para a primeira quinzena de Dezembro uma outra vistoria, ou seja , isto mostra que o tema está a ser objecto de um grande rigor para percebermos exactamente o que está a ser operado naquele espaço, para eliminar de vez todos estes inconvenientes para as populações", frisou.

Paulo Gomes assegurou que "a informação que temos da Câmara da Trofa é que não há nenhuma violação ao fim-de-semana e como pode imaginar seria um bocadinho complicado para a CCDR, estabelecer articulações com todas as freguesias e deixar para segundo plano a articulação com a autarquia da Trofa".

"A CCDR tem um interlocutor directo, que é a Câmara da Trofa. Se esta nos enviar uma nota, que diz que se confirma que esta situação está a ocorrer, nós podemos ter de colocar o SEPNA ao fim-de-semana numa situação de vigilância e podemos ter de ocorrer numa última instância, ao encerramento provisório desta unidade".

Contactada pelo NT a Câmara da Trofa através do gabinete de imprensa fez saber que "O Sr. Eng. Pontes só teve conhecimento dos odores da Savinor e o consequente eventual funcionamento da empresa ao fim-de-semana, no passado sábado, 24 de Novembro, aquando da visita do senhor Ministro à Freguesia de S. Romão, tendo agido em conformidade depois disso.

Já Guilherme Ramos presidente da Junta de S. Romão do Coronado fez já saber que enviou à CCDR Norte, na segunda-feira "um oficio dando conta de que os odores tem-se feito sentir aos sábados", concluindo-se que a empresa estará a desrespeitar as indicações da CCDR Norte.