Está a chegar uma das romarias com mais tradição no concelho da Trofa. As festas em honra de S. Gonçalo realizamse no penúltimo fim de semana de janeiro e a verdade é que, ano após ano, milhares de romeiros continuam a encher as ruas da freguesia.

Seja para cumprir promessas ou para puxar a bengala ao santo, o certo é que a romaria resiste à evolução dos tempos. O teor profano ganha também expressão quando se fala em beber um bom vinho e provar o rojão.

Este ano, Fernando Moreira é responsável pela Comissão de Festas, mas um pouco por engano. Por pensar que este era o ano em que completava 30 anos como presidente da Junta de Freguesia, decidiu conjugá-la com a preparação das festas, mas constatou que o ano em que tomou posse pela primeira vez foi 1983. “Depois de me aperceber, pensei que não podia entregar a festa, pois já tinha andado a trabalhar para ela e não seria de bom-tom entregá-la com tudo pronto”, explicou.

Confusões à parte, a verdade é que Fernando Moreira arregaçou as mangas e cumpriu o desejo de ver a festa concretizar-se por mais um ano: “As festas estão a ser preparadas como é habitual. Pensamos que temos que fazer o melhor, temos uma festa com nome, e queremos construíla para que as pessoas nos venham visitar, estou a contar com o povo romeiro de S. Gonçalo, que traga as suas ofertas e que venha provar o vinho e comer os petiscos”, sugeriu.

 

Fernando Moreira quer ver os romeiros “a caminhar pelos montes com os sacos às costas, os paus e panelas para vir ao S. Gonçalo”. “Esta é uma tradição muito antiga e deve manter-se”, sublinhou.

Fernando Moreira comanda a Junta de Freguesia há uma vida e como covelense de gema lembra- se dos primórdios da romaria, quanto era conhecida como “a festa da pancada” devido ao “jogo do pau”. “Vinham pessoas de Água Longa, Ermesinde, Valongo e Trofa para participar no jogo do pau. Felizmente, agora a festa é pacífica”, afirmou.

Apesar da fama da romaria, há poucos que se voluntariam para a realizar, por isso Fernando Moreira fez um apelo aos jovens da freguesia: “Temos uma boa juventude em Covelas. Eles que olhem para a freguesia, que lhe ganhem amor e que trabalhem, porque são muito bem-vindos para tomar conta dos nossos lugares. Se assim não for, isto vai de mal a pior”, alertou.

No programa das festas deste ano está previsto um espetáculo de folclore na noite de sexta-feira, 20 de janeiro, com o Rancho Típico Santa Maria da Reguenga (Santo Tirso) e o Rancho Folclórico Os Camponeses de Navais (Póvoa de Varzim).

No dia seguinte, a noite estará reservada para o espetáculo do grupo “Ympério Show”, até ao encerramento com fogo de artifício.

O domingo, 22 de janeiro, começa com uma eucaristia em ação de graças ao mártir S. Sebastião na igreja matriz, às 8 horas, e uma hora depois atua a Banda de Música da Trofa. A tarde será animada pela Fanfarra de Melres. Às 15.30 horas realiza-se a celebração da palavra e saída da procissão em honra de S. Gonçalo. Na segunda-feira, realiza-se uma eucaristia do voto e procissão do voto ao redor da capela, pelas 9 horas, e o grupo Cantares de Outono atua a partir das 15 horas.

{fcomment}