As micro e pequenas empresas geram mais de metade dos empregos. Apesar da sua enorme importância, muitas empresas de pequeno porte fecham as portas nos primeiros cinco anos sem nunca ter gerado lucro. Começam com um foco definido mentalmente e depois de alguns meses passam atuar em áreas que não têm absolutamente nada a ver com o negócio original… Isso acaba por dividir atenção e prejudicar a melhoria do principal serviço ou produto da empresa.

Eis os cinco erros mais usuais nestas empresas:

*Misturar carteiras – a junção das finanças particulares com as despesas da empresa costumam causar um total descontrole dos gastos. Esta falta de disciplina descapitaliza a caixa da empresa.

*Privilegiar os parentes – empregar parentes é normal e, muitas vezes necessário por uma questão de confiança e diminuição dos custos. Mas aqui é que está o problema não há controle de horários e cobrança de resultados o que implica uma perda de autoridade e um mau exemplo para os demais funcionários.

*Inexistência de Planeamento – o excesso de improviso na resolução dos problemas e formas de atuar, a intuição é a base das decisões e com visão a curto prazo, interligado com a falta de experiência dos empreendedores

*Capacidade de resposta – sem um planeamento básico no primeiro pico de trabalho começam as falhas organizacionais, o que transmite pouca segurança ao cliente, este “stress” prejudica a relação empresa/mercado

*Endividamento – créditos, responsabilidades, garantias, finanças, segurança social acabam com o resto e se estas entidades empurram as mais organizadas das empresas para o abismo, aniquilam com certeza as empresas que nos referimos.

Dra. Paula Sousa – Economia – ULP/00