O projecto de arquitectura do edifício de serviços comuns apresentado na primeira reunião do Conselho Estratégico da Trofa-Park. ALET tem financiamento aprovado pelo QREN.

Foi durante um jantar que os membros do Conselho Estratégico da Trofa-Park reuniram pela primeira vez, no dia 23 de Março. O momento serviu também para apresentar o ponto de situação da Área de Localização Empresarial da Trofa (ALET).

O objectivo deste órgão consultivo presidido por Luís Braga da Cruz é “criar condições para atrair empresas de base tecnológica” que “confiram competitividade ao concelho da Trofa”. Por isso, foi recomendado a Joana Lima, edil trofense, e ao órgão gestor da ALET que “preparem um bom regulamento para que não haja especulação imobiliária em relação a cada lote que esteja disponível” e que “as primeiras empresas (a instalar) sejam emblemáticas e factor de atracção para outras.

Atenta a estes conselhos, Joana Lima “não tem dúvidas” de que esta “é uma altura muito difícil para tomar decisões”, no entanto acredita que é nestas épocas que “surgem os projectos com grande qualidade para o desenvolvimento económico e empresarial do concelho”. O projecto que “vai acolher um conjunto de empresas nacionais e internacionais” tem uma localização estratégica “no eixo noroeste peninsular” e para a edil trofense “é dos melhores a nível nacional em termos de áreas de acolhimento de empresa”, frisou.

Mas para que o projecto avance para o terreno é necessário financiamento. “Temos uma candidatura aprovada no âmbito do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional) com oito milhões de euros, temos uma linha de crédito no âmbito do BEI (Banco Europeu de Investimento) quase a custo zero em termos de juros (15,2 milhões de euros)”, mas existe ainda o investimento de capitais próprios de 3,55 milhões de euros. No entanto, para Joana Lima “a Trofa merece projectos arrojados como este”, num investimento que vai trazer “muitas vantagens, atrair muitas empresas e ser fonte de lucro para o município”.

Deste Conselho Estratégico fazem ainda parte Luís Portela da Bial, Fernando Gomes da Galp Energia, Manuel Teixeira da ANJE, José António Barros, da Associação Empresarial de Portugal, Paulo Sousa, do Grupo Proef, Rui Moreira, da Associação Comercial do Porto, Carlos Magno, jornalista e professor, Simeon Ries, Presidente da Federação dos Empresários Portugueses na Alemanha, Filipe Vila Nova, da Salsa Jeans, José Manuel Fernandes, da Frezite, José Tomé de Carvalho, da Falual, Manuel Pontes, da AEBA, José Vila Nova, médico e Pedro Alves Costa, economista.

Projecto da ALET teve desenvolvimentos consideráveis

Quanto à Área de Localização Empresarial da Trofa, de acordo com Paulo Ferreira do Amaral, administrador-executivo da Trofa-Park, teve nos últimos tempos desenvolvimentos consideráveis. “O financiamento já está assegurado e não há propriamente um envolvimento relevante por parte da Câmara Municipal da Trofa”, avançou. Mas há “boas notícias para os trofenses”: “Em primeiro lugar este projecto vai permitir a deslocalização de empresas que existem no centro urbano da Trofa para esta Área de Localização Empresarial e, em segundo lugar vai atrair investimento nacional e estrangeiro na Trofa, o que significa crescimento no emprego e melhoria das condições ambientais e urbanísticas do concelho”.

Esta reunião ficou também marcada pela presença dos elementos que compõem a GlobalTrofa – Sociedade Gestora da Área Empresarial da Trofa SA., constituída a 14 de Março de 2011, que tem parceiros públicos, com 51 por cento do capital o Município da Trofa e a Trofa-Park e como parceiros Privados, com 49 por cento do capital, a Britalar, SA., as Construções Europa Ar-Lindo, SA., e Nicolau Macedo, SA.

 

Estão reunidas as condições “para levar a obra para a frente”, uma vez que já foi realizada “a adjudicação das obras de infra-estrutura (Britalar Europa Ar-Lindo ACE) e o projecto de arquitectura do edifício de serviços comuns (Barbosa & Guimarães, Lda)”. “Vão decorrer nos próximos dois ou três meses alguns passos essenciais como a aquisição dos terrenos, a reformulação dos projectos para que dentro de cerca de um ano e meio, dois anos tenhamos a primeira fase da Área de Localização Empresarial da Trofa pronta”, esclareceu Paulo Ferreira do Amaral.

A ALET vai nascer numa zona privilegiada com ligação às vias de comunicação da A3, Estrada Nacional 14, Estrada Nacional 104, Aeroportos internacionais do Porto e Vigo, Portos Marítimos de Porto, Viana do Castelo e Vigo e do Terminal Ferroviário do Porto.