homenagem-cnego 

Há cinquenta anos atrás, na Igreja Paroquial de Guidões, Ferreira dos Santos celebrou a sua Missa Nova. Este domingo a paróquia celebrou as bodas de ouro sacerdotais do cónego, natural do lugar do Cerro.

O calendário marcava o dia 9 de Agosto de 1959. A freguesia de Guidões dirigia-se em massa para o ponto de encontro da festa do dia. O Cónego Ferreira dos Santos celebrava a sua “Missa Nova” na Igreja Paroquial de Guidões. Cinquenta anos depois, a paróquia não deixou passar em branco esta data importante para vida do padre-músico, especialista em música litúrgica.

No passado domingo, a mesma igreja onde há cinco décadas Ferreira dos Santos celebrava a sua “Missa Nova”, encheu-se para homenagear o cónego, com uma cerimónia comemorativa das suas bodas de ouro sacerdotais.

Perante largas dezenas guidoenses, Ferreira dos Santos recordou o momento naquele mesmo lugar há meio século e mostrou-se lisonjeado pela homenagem, na qual não faltou o ofertório solene ao cónego, bem como o corte do bolo no final da cerimónia.

Emocionado, Ferreira dos Santos referiu ao NT que aquela homenagem representou “uma expressão muito autêntica e verdadeira das pessoas” e dirigiu palavras de “gratidão eterna” aos guidoenses.

Filho da terra, Ferreira dos Santos nasceu no lugar do Cerro, em Guidões, a 25 de Junho de 1936. Diz que “conhece bem os génios das gentes de Guidões” e da sua “Missa Nova” a 9 de Agosto de 1959 o que mais recorda com nostalgia é a movimentação das pessoas e os arranjos feitos em sua honra. “A consonância de tudo quanto foi feito nesse dia, porque se a celebração dentro da igreja estava notável e colossal, tudo isto por aqui a cima até à minha casa era uma coisa nunca vista do ponto de vista de arranjos”, recordou, referindo que naquele dia “tudo cantava e tudo era sinfonia”.

Para o cónego Ferreira dos Santos aquele dia foi “espantoso” e cinquenta anos depois “continua a ser”. “Oxalá não perca essa identidade, é uma marca desta terra o entusiamo, a sensibilidade e a criatividade”, realçou.

Para o padre-músico guidoense, o balanço de cinquenta anos sacerdotais é “muito positivo”, do qual fazem parte muitos acontecimentos que fizeram a diferença. “Há muitas coisas que aconteceram nestes cinquenta anos, umas locais, outras nacionais, diocesanas, internacionais e muitos focos de dinâmica, culturais e de música litúrgica, cursos”, contou. Mostrando-se “muito satisfeito e feliz, Ferreira dos Santos garante que “não trocava por nada ser padre”.

O Cónego Ferreira dos Santos foi ordenado sacerdote a 2 de Agosto de 1959, tendo celebrado a sua “Missa Nova” uma semana depois, na Igreja Paroquial de Guidões. Actualmente é pároco na Lapa, no Porto.