senhora-das-dores-publico 

Flor-de-Lis e Ana Malhoa já pisaram o palco montado no Parque Nossa Senhora das Dores. José Alberto Reis actua esta sexta-feira à noite e a procissão de andores vai preencher a tarde de domingo.

Levar as pessoas ao Parque Nossa Senhora das Dores é um dos principais objectivos do programa recheado da maior romaria do concelho da Trofa. As festas em honra de Nossa Senhora das Dores começaram no início do mês e têm animado as noites e os fins-de-semana dos trofenses. Antes do ponto alto da festa, que é a procissão dos andores, muito já se pôde ver como a actuação do grupo Flor-de-Lis que está a desabrochar no panorama musical português e ainda da cantora já muito requisitada, Ana Malhoa.

Milhares de pessoas aderiram ao programa elaborado com enorme esforço pela Comissão de Festas, que este ano pertence à aldeia da Esprela e que trabalham gratuitamente para manter a grandeza da festa que é reconhecida por todo o país e que tem uma história secular que ainda faz sonhar.

A animação não vai parar até 18 de Agosto e sexta-feira espera-se outra noite grande no Parque, com o concerto de José Alberto Reis, conhecido cantor de música popular que também vai abrilhantar a festa.

O que brilha são também as principais ruas da cidade, com a iluminação, criteriosamente escolhida pelas mulheres da Comissão de Festas. O bom gosto feminino acabou por dar frutos e merece os inúmeros elogios das pessoas que passeiam à noite pela cidade.

O azul, cor característica da Santa, invadiu as ruas da cidade e a Capela de Nossa Senhora das Dores distingue-se pelos tons dourados.

Em entrevista ao NT, Luís Paulo Sousa, presidente da Comissão, afirmou que apesar da equipa “jovem e inexperiente” que este ano integra Comissão de Festas em Honra de Nossa Senhora das Dores, o trabalho desenvolvido é positivo, para o qual tem contribuído a ajuda de pessoas mais experientes e também o apoio dos presidentes das Comissões de Festas de anos anteriores.

As expectativas para os restantes dias de festa são elevadas e centram-se, essencialmente, na tarde de domingo, que marcará a procissão dos andores, uma das poucas resistentes em Portugal.