Autarquia e FAPTROFA organizaram uma iniciativa para apelar à prevenção e segurança rodoviária e prevenção da Toxicodependencia. GNR, Força Aérea, Bombeiros e associações do concelho também participaram.

 O atropelamento aconteceu durante a tarde de domingo, junto à Feira/Mercado da Trofa, quando o peão surpreendeu o condutor ao atravessar fora da passadeira. O alerta aos socorristas foi dado de imediato. Poucos segundos depois, surgiram os Bombeiros Voluntários da Trofa, que imobilizaram a vítima e a transportaram para o hospital.

Também no local, a Polícia Municipal verificou que os documentos do condutor, que tinha cerca de dez anos, estavam em situação regular.

Este momento não passou de um simulacro para mostrar aos mais pequenos os perigos da estrada e a importância de estar educado para a segurança rodoviária. Esse foi o propósito da iniciativa organizada pela Câmara Municipal, com apoio da Federação das Associações de Pais da Trofa (FAPTROFA). Segundo dados da autarquia, estiveram presentes “mais de 400 crianças” que puderam usufruir de um dia de actividades com o intuito de trabalhar as temáticas da segurança e prevenção rodoviária e da toxicodependência.

Mas antes de pegar no volante, os condutores de palmo e meio tinham várias tarefas pela frente. Uma das primeiras foi aprender a ter uma atitude preventiva, através de um vídeo da secção de operações especiais da GNR. Depois da lição assimilada, estavam em condições de receber a carta de condução, que era adquirida junto do posto da Escola de Condução Máxima. A responsável pela empresa, Clara Cardoso, reconheceu o “gosto” em “lidar com as crianças” e a “importância” de os mais pequenos “terem alguma experiência para o que é respeitar o código da estrada, nomeadamente a sinalização para os peões e como utilizar as cadeirinhas”.

“As crianças em pequenas ficam mais sensibilizadas e conseguem entender melhor o porquê, enquanto os crescidos ignoram um bocadinho, às vezes”, frisou.

Com tudo regularizado, seguiu-se a aventura pela estrada, onde os condutores tinham uma verdadeira prova de conhecimentos. Já em direção ao circuito móvel Tiago e Daniel Sá diziam que o que mais queriam experimentar era “conduzir os carrinhos”. “Vou portar-me bem”, assegurou Daniel, mostrando que tinha a lição bem estudada ao afirmar que, desta forma, quando fosse crescido, ia “saber as regras de conduzir um carro”.

Mas a atividade também foi feita para sensibilizar os mais velhos. Enquanto os filhos se divertiam, os pais eram alertados para a importância de ter uma condução defensiva como no Aqualearning dirigido pela Força Aérea.

Franquelim Ribeiro levou a filha à atividade, por defender que assim a criança “pode interagir e conhecer melhor como se anda na estrada”. “Sou apologista de que as crianças, conforme vão crescendo, tenham acesso a este tipo de informação”, salientou, frisando que estas iniciativas deviam acontecer “mais vezes”.

Bombeiros atuaram num simulacro

Os Bombeiros Voluntários da Trofa montaram um “quartel aberto” e protagonizaram algumas atividades de prevenção de acidentes rodoviários. “Em colaboração com a Quinta Mágica, a GNR e a Polícia Municipal, vamos fazer uma simulação de acidentes, com desencarceramento, aliando-a ao contexto de formação para estagiários. Esta é uma atividade em colaboração com a JuveBombeiro, uma estrutura que agrega bombeiros entre os 18 aos 35 anos”, explicou o bombeiro Pedro Oliveira.

Os Bombeiros estiveram no local com cinco ambulâncias, uma viatura de desencarceramento, uma viatura de pronto-socorro urbano e 20 elementos, que estavam mobilizados para “assegurar todo o tipo de ocorrências” que pudessem surgir por todo o concelho, durante o dia.

Também a GNR participou nesta atividade, pois reconhece “a importância para sensibilizar os condutores e crianças a ter um comportamento adequado na estrada”, adiantou o comandante do destacamento de Santo Tirso da GNR, capitão Flávio Sá.

A inauguração ficou marcada pelo concerto da banda de Música da GNR e durante o dia o palco teve algumas demonstrações desportivas.

 

Organização faz balanço positivo

Teresa Fernandes, vereadora da Educação da Câmara Municipal da Trofa, afirmou que a aposta na continuidade desta atividade justifica-se com a certeza de que “a prevenção rodoviária é de especial importância para as crianças”. “Pretendemos sensibilizar pais e filhos para os cuidados que devem ter na estrada. Os objetivos estão concretizados, porque as crianças levaram a informação e os pais, certamente, vão pensar melhor nestas questões da prevenção”, sublinhou.

Ao contrário dos anos anteriores, a iniciativa não decorreu no Parque Nossa Senhora das Dores, devido às obras de requalificação daquele espaço. Foi transferida para a zona da Feira/Mercado da Trofa, uma decisão que, segundo a autarca, foi “feliz”, pelo “dia agradável” que esteve.

Por seu lado, José Maria Oliveira, presidente da FAPTROFA, considerou que esta atividade pretende “criar hábitos e sensibilizar as crianças para os perigos que vão encontrar mais tarde, quando forem adultos”.

Esta iniciativa também contou com a participação da Trofáguas, que ministrou a palestra “CO2 não se vê, mas sente-se”, assim como com as associações ASAS, Cruz Vermelha, Santa Casa da Misericórdia, Clube Desportivo Trofense e APSI (Associação para a Promoção da Segurança Infantil).

No final, depois de passar por todos os postos de controlo, as “mais de 400 crianças” participaram num sorteio, cujo primeiro prémio era uma bicicleta.