Depois de ser inaugurado a 25 de dezembro, o concurso de presépios de Natal terminou com a divulgação dos três vencedores, no domingo, 12 de janeiro.

Debaixo de uma cobertura, construída com troncos de madeira e plástico e com palha no solo, encontravam-se as figuras alusivas a Maria, José e Menino Jesus, na manjedoura, acompanhados pela vaca, burro e duas ovelhas. Este foi o presépio de Natal vencedor do concurso que a paróquia de Santiago de Bougado e a Junta de Freguesia de Bougado dinamizaram.

No dia da avaliação dos 12 presépios a concurso, expostos no Souto da Lagoa, desde o dia 25 de dezembro, a chuva não deu tréguas, obrigando o júri, constituído por dois elementos da paróquia de Santiago de Bougado e por dois da Junta de Freguesia de Bougado, a avaliarem os trabalhos dos grupos da igreja debaixo do guarda-chuva. Cada elemento atribuiu uma pontuação, que ia de um a dez, e no final foram somados os pontos para se encontrarem os três presépios vencedores. O presépio número oito, com “35 pontos”, pertencente ao grupo do 4º ano da catequese, foi o grande vencedor, ganhando “500 euros”, seguido do presépio número 12, com 34, pertencente ao Agrupamento de Escuteiros de Santiago de Bougado, que amealhou 250 euros. Já no apuro do 3º lugar, houve um empate entre os presépios número quatro e dez. O júri deliberou e escolheu o número quatro, pertencente ao Coro Paroquial, que recebeu cem euros.

Devido ao tempo ter estado sempre incerto, com períodos de chuva, “muitos presépios ficaram destruídos ou semidestruídos”, contou o pároco Bruno Ferreira, que salientou que “as pessoas foram tão generosas que foram sempre montando cada vez que os presépios caíam”.

Quanto à avaliação, o padre crê que foi “a mais justa possível”, uma vez que foi através da “soma numérica das pontuações”.

O “objetivo principal”, segundo Bruno Ferreira, era “marcar o Natal e recentrar a nossa devoção ao presépio, que é o centro do Natal: o nascimento do menino Jesus”, assim como “apelar à criatividade dos grupos, empenhá-los e expô-los à comunidade”. Já o “segundo” era “possibilitar a atribuição de três prémios que os vencedores vão destinar a grupos de caridade que serão legitimamente aceites pela paróquia”.

Também o presidente da Junta de Freguesia de Bougado, Luís Paulo, fez um balanço “muito positivo” desta iniciativa, que “nasceu de uma ideia do senhor padre Bruno”, a quem aproveitou para “agradecer”. “Naturalmente que haverá no futuro pontos a melhorar, mas acho que a ideia do projeto foi boa. S. Pedro não foi muito amigo dos concorrentes, de qualquer das maneiras e atendendo ao objetivo nobre, que é um prémio que nasceu da colaboração entre a Paróquia de Santiago e Junta de Freguesia de Bougado, acho que é uma iniciativa a continuar, a desenvolver e a melhorar naturalmente”, referiu.

Luís Paulo mencionou ainda que a Junta de Freguesia está “recetiva a todos os projetos” que sejam apresentados, uma vez que “a cultura é muito importante para ocupar os nossos jovens”.