Comissão Social de Freguesia fez balanço da atividade em 2012 e traçou objetivos para este ano.

 “Voltar a reunir os parceiros e entidades convidadas, dar a conhecer o que foi feito em 2012 e apresentar o plano de ação para 2013” foram os objetivos traçados e cumpridos da atividade “Conversa ao Café”, da Comissão Social de Freguesia (CSF) de S. Martinho de Bougado.

Os elementos da CSF, entre eles a Junta de Freguesia, Bombeiros Voluntários, Cruz Vermelha, ASAS, APPACDM, Santa Casa da Misericórdia e conferência vicentina, sentaram-se à mesa com representantes de entidades convidadas – Câmara Municipal, Polícia Municipal e Guarda Nacional Republicana para fazer uma retrospetiva da atividade desenvolvida ao longo do ano passado e traçar novas metas para 2013.

De acordo com Carla Lima, representante da Cruz Vermelha na CSF, “a atividade que teve maior relevância foi a Manhã Desportiva Solidária, que envolveu mais pessoas e permitiu angariar um valor sustentado de fundos, que estão a ser canalizados para situações de emergência”. “Apesar de consideramos que os números podem estar aquém do real, o levantamento das situações dos idosos surgiu de um trabalho muito meritório. Para além disso, conseguimos que a Comissão começasse a funcionar, efetivamente”, evidenciou.

A adesão das entidades para a reunião “foi menor que o ano passado”, referiu Carla Lima, mas mesmo assim “deu frutos e foi produtiva”. “Na avaliação final, as pessoas consideraram-na positiva, interessante e desafiante”, frisou, revelando que uma nova reunião está agendada “para junho”.

Para 2013, os desafios passam por “continuar o levantamento dos idosos da freguesia, através de uma nova dinâmica”, até para consertar esforços com “a GNR e a Polícia Municipal, que têm dinâmicas próprias nesse campo”. “Vamos manter a atividade na ExpoTrofa, repetir a Manhã Desportiva Solidária, em setembro, e fazer o levantamento de pessoas sem-abrigo na Trofa. Queremos ainda começar com a atividade do mercadinho, em que as instituições da CSF podem arranjar fundos para o dia a dia”, anunciou.

José Sá considerou que com esta reunião “é uma proximidade que se ganha junto das situações de decadência que existem no âmbito social”. “Os resultados são positivos embora não sejam resultados de se ver instantaneamente, mas a curto prazo, portanto só por isso, valeu a pena estarmos reunidos três horas”. “Só o encontro de juntar os parceiros todos da comissão social da Junta de Freguesia para discutir todas as ideias, já é uma situaçao de destaque e de grande importância”, concluiu.