O Clube Slotcar da Trofa participou este fim de semana, dias 9 e 10 de março, numa prova de 24 horas de slot, em Barcelona, Espanha. Equipa classificou-se em 14º lugar.

Foi com “alguma deceção no resultado obtido” que os elementos do Clube Slotcar da Trofa (CST) chegaram ao concelho, depois da prova de 24 horas disputada em Barcelona, Espanha.

A equipa, composta por Filipe Cruz, João Vilas Boas, Pedro Vieira e Ruben Almeida, está “habituada a lutar pelos lugares cimeiros da classificação”, mas, logo nas “primeiras horas da competição”, viu essa possibilidade ser “arredada”. A prova até começou a “preceito”, pois das 33 formações presentes (29 espanholas, três portuguesas e uma belga), o CST fez “o terceiro melhor tempo” na qualificação, com “um excelente andamento”, que lhe garantiu um lugar “muito favorável na grelha de partida”.

A partir da sexta hora de corrida, “a sorte foi madrasta” e houve “problemas sucessivos de transmissão” (pinhão e cremalheira), que em esforço levou a “graves problemas mecânicos” que atingiram inclusive o sistema de luzes (obrigatório no período noturno), e que se “prolongaram até meio da prova”. Na segunda metade da corrida assistiu-se a “uma recuperação fantástica” dos trofenses até ao 14º lugar, conseguindo ultrapassar as restantes equipas portuguesas (que se classificaram em 17º e 27º). No entanto, este resultado “não serviu de consolo”.

“O carro da competição é um novo modelo, com novos equipamentos e acessórios que requerem muitos testes. Não fomos muito felizes em algumas opções que tomamos, no entanto fica mais uma internacionalização e uma nova experiência”, referiu Filipe Cruz.

Já João Pedro Costa, presidente da coletividade, fez questão de salientar que “os esforços” do clube para estar “nos grandes palcos da modalidade não estão diretamente ligados com os resultados desportivos”, encarando “o sucesso e o insucesso com a mesma naturalidade”. “Competir, conviver e levar longe o nome da Trofa é o mais importante, sabendo que não podemos ganhar sempre”, concluiu.