Nelson Silva e Mariana Simões Carvalho celebraram 50 anos de matrimónio, numa grande festa que juntou a família. Casal diz que o segredo para a longevidade do casamento é “saber amar”.

Em 50 anos, muitas histórias há para contar. As de Nelson Silva e Mariana Simões Carvalho escreveram-se em conjunto, fruto de uma longa vida partilhada. No sábado, festejaram as bodas de ouro do matrimónio, juntamente com a família que constituíram.

A tarefa de conquistar Mariana não foi fácil, contou Nelson Silva: “Havia mais um ou dois que a queriam, mas eu fiz o cerco e nunca mais a larguei”, contou divertido, perante o sorriso tímido da esposa. Trocaram as primeiras impressões “no campo do Trofense” e daí para o namoro foi um pequeno passo mas, o início do relacionamento foi conturbado: “Ela teve de decidir, porque a falecida dona Helena (dona da casa onde Mariana trabalhava) disse que, se namorasse comigo, ia embora e ela veio”. Mariana teve de ir para Mondim de Basto e Nelson nunca se coibiu de a ir visitar. “Da estação de Mondim até à terra dela, que se chamava Atei, eram sete quilómetros e eu ia a pé. Tudo por amor a ela”, contou.

No dia do casamento, 21 de janeiro de 1962, houve quem lhe disponibilizasse um carro para o casal passear, “mas o frio era tanto” que o destino foi outro: “Fomos mas é para a cama”, contou Nelson, entre gargalhadas. Num curto espaço de tempo nasceram dois filhos e só nove anos depois nasceu a terceira. A família teve de viajar para Sintra, local onde Nelson arranjou trabalho numa fábrica sueca de luvas. Este emprego durou até ao 25 de abril de 1974. Estes primeiros anos de vida conjunta não foram fáceis e enquanto Nelson se aventurou “a vender cautelas para ver se ganhava algum”, Mariana começou “a andar ao jornal” (trabalhar na agricultura) para ajudar nas despesas de casa até arranjar emprego numa fábrica de moagem, onde trabalhou mais de 30 anos até à reforma.

O segredo para uma união de cinco décadas parece ser fácil para este casal: “É saber amar. O amor é que manda. Podia sair uma palavra mais torta, por vezes, mas passado pouco tempo já estava tudo bem”. Nelson e Mariana desejam ser um exemplo para os filhos e netos: “O maior desgosto que eu tinha era se um filho ou filha nossa se separasse. Aconselho a estarem sempre unidos, porque o que se disse ao padre na hora do casamento é para cumprir até ao fim”. O casal gostou da cerimónia de celebração das bodas de ouro, que se realizou na própria casa, apadrinhada pelo pároco Luciano Lagoa.

{fcomment}