O Aquaplace abriu portas a toda a comunidade, para que pudesse conhecer os serviços que tem para oferecer. Esta iniciativa, realizada no sábado, contou com cerca de 600 participantes.

Com o objetivo de “dar a conhecer” os serviços que tem para oferecer e “de incutir o bichinho da educação física e da prática desportiva”, a direção do Aquaplace organizou, durante o dia 21 de janeiro, sábado, o Openday (dia livre). Entre as 9 e as 21 horas, muitas foram as pessoas que participaram nas 12 modalidades, que estavam disponíveis para quem quisesse participar.

Para isso, bastava a inscrição na receção do ginásio, para que pudessem assim garantir a participação. Durante a manhã, houve uma aula de jump, seguida de aulas abertas de dança, para crianças dos cinco aos oito anos e outra dos oito aos dez anos, uma Master Class e um Mega Mix, na sala de spinning, “com uma hora e meia de atividade, onde 45 minutos era treino funcional e os restantes com spinning”. Ainda teve à disposição os parques aquáticos para bebés, que contaram com uma grande adesão. Na parte da tarde, houve aulas de Pilates, um mix de artes marciais, que incluiu karaté, kickboxing e judo, em simultâneo, danças de salão, uma aula de hidroginástica e, para terminar, uma mega aula de BTS. “Ou seja tivemos um conjunto variado de atividades, dentro e fora de água, que fez com que as 600 pessoas, que nós contabilizámos neste balanço do OpenDay, passassem pelo Aquaplace, o que muito nos agradou”, afirmou Artur Costa, diretor deste espaço desportivo. Segundo o mesmo, esta adesão, em massa, prova que “vale a pena” a realização de iniciativas como esta, pois os “objetivos foram plenamente alcançados”, esperando que os resultados desta “aposta se façam sentir a curto prazo”. “As aulas ficaram todas esgotadas, o que é um bom sinal, que quer dizer que o Aquaplace é uma referência e que as pessoas preocupam-se, cada vez mais, com a atividade física, como forma de bem estar e de saúde”, frisou.

Artur Costa afirma que a “adesão foi acima das expectativas”, chegando a alterar, em certas aulas, a “distribuição dos espaços para outros de dimensão maior”, porque não contavam com tanta afluência. “Por exemplo, a Master Class, que aconteceu de manhã, teve mais de 40 pessoas. Também a aula da hidroginástica, que normalmente é muito calminha ao final do dia de sábado, teve 47 pessoas”, acrescentou.

Esta iniciativa, que teve um “saldo muito positivo”, superou as atividades realizadas nos anos anteriores. O que prova que este espaço desportivo tem evoluído, ao longo destes quase quatro anos de existência, “quer em número de utentes, quer em número de atividades que vai promovendo”. Artur Costa salientou que, além de ter como objetivo principal conhecer as instalações deste estabelecimento, é muito importante que as pessoas tenham a oportunidade de conhecer as atividades disponíveis, porque muitas vezes ouve as pessoas dizerem que não conseguem fazer determinado exercício sem nunca sequer terem experimentado. “Quisemos, com o tipo de aulas que colocamos à disposição, mostrar às pessoas que elas são úteis e que as pessoas são capazes de as fazer. Temos aulas para todo o tipo de público, para aquele que está a começar e para o que tem um nível mais avançado”, frisou.

Devido à conjuntura financeira atual, Artur Costa asseverou que “a melhor forma de combater a crise é prestar um serviço de qualidade” pois na sua opinião, a “forma como a atividade é oferecida”, ajuda a que utentes escolham o seu serviço.

 {fcomment}