O Monte de S. Gens, em Cidai, Santiago de Bougado, foi palco das festas religiosas a S. Gens, que decorreram nos dias 6 e 7 de setembro

Num lugar “bonito e “emblemático” teve início a oração das mães e consagração das crianças, principalmente menores de três anos, a Nossa Senhora de Alegria, que decorreu na missa solenizada pelas 18 horas de sábado, 6 de setembro, e inaugurou as festas religiosas a S. Gens de Cidai, em Santiago de Bougado.

“Este ano, em modo particular, quisemos também dar um ar de frescura àquele lugar com uma limpeza mais aprofundada, sobretudo o espaço”, começou por explicar Bruno Ferreira, pároco de Santiago do Bougado. “Creio que a afluência de pessoas tem sido sempre bastante satisfatória nas celebrações, sobretudo na eucaristia de sábado, mas, este ano creio que teve mais gente, mais mães e filhos.”

A festividade que esteve a cargo da comissão de festas liderada por Manuel Ramalho contou com o apoio do Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado, que esteve encarregue da animação, com o seu Festival de Folclore Bougado 2014.

No domingo, dedicado a S. Gens, houve missa às 9 horas e a peregrinação do facho até ao Santuário, pelas 10.45 horas, com “a participação da Paróquia e todos os devotos”, que cumprem as suas promessas. Este ano, houve uma particularidade, “há muito tempo que o sino não tocava e dei autorização para que este ano o sino começasse a ser tocado na altura da chegada da procissão”, confessou o padre Bruno Ferreira.

Mais tarde, decorreu a missa solene em louvor de S. Gens, liderada por Luciano Lagoa, vigário paroquial e vigário da Vara Trofa/Vila do Conde, com sermão e comunhão.

O Festival de Folclore contou com atuações do Grupo Danças e Cantares de Santiago de Bougado, Grupo Folclórico de Bustelo (Penafiel), Grupo Etnográfico de Corticeiro de Cima (Cantanhede), Rancho Folclórico As Ceifeiras de S. Martinho de Fajões (Oliveira de Azeméis) e Rancho Folclórico S. Cipriano de Tabuadelo (Guimarães).

“As cerimónias foram bastante participadas, também na parte de domingo com a procissão, e com as duas missas das 9 e das 11.30 horas e mesmo à tarde tive informação de que teve bastante gente a participar e no festival do folclore. O espaço ficou impecável, os tapetes que foram feitos são admiráveis por toda a gente. Este ano houve a presença de tasquinhas na parte dos parques, e também foi importante”, contou o pároco.

Haverá ainda mais um dia de festa, 22 de Setembro, que será dedicado à Gente do Mar, com missas às 9 e 10.30 horas.

O pároco contou ainda que “aquele santuário está ligado à peregrinação, às pessoas das gentes do mar, aos pescadores, à zona de Vila do Conde, da Póvoa do Varzim (…) e aí vem de facto muita peregrinação, bastantes autocarros de pessoas que vêm cumprir as suas promessas, pedir a protecção de S. Gens e também da Senhora de Alegria para a sua lida do dia a dia (…)”. “Hoje eu também estou com esse empenho de incentivar aquele lugar como peregrinação, como um lugar excelente de convívio, de sanidade, de tranquilidade e sobretudo por ser o lugar que é, com umas vistas fantásticas que tem sobre o nosso concelho, sobre a Trofa, Bougado, sobre a Póvoa do Varzim, Vila do Conde, é um local sempre a visitar”, acrescentou.

A capela de S.Gens, situada num lugar “apetecível”, sofrerá brevemente algumas obras de manutenção devido às humidades, chuva e vento a que está exposta.