Uma visita ao Comando Territorial da GNR no Porto, na manhã de 10 de setembro, marcou a abertura da Universidade Sénior no Coronado. O início das aulas está marcado para segunda-feira, 15 de setembro.

“Nem eu próprio sei, mas sei que é uma grande oportunidade, porque desde sempre gostei do ensino e estive ligado aos Jovens Unidos de S. Mamede do Coronado, que fundei há 20 anos”. Morador em S. Mamede, José Ramos, mais conhecido por Guilherme Ramos, decidiu inscrever-se na Universidade Sénior, especialmente na disciplina de Introdução à Informática, por considerar ser “importante” para a sua atividade e “missão nesta vida”, tendo esta sido “uma grande oportunidade” que lhe surgiu.

Também moradora em S. Mamede, Maria de Lurdes dos Santos, contou que “não queria muito” fazer parte da Universidade sénior por considerar ser “uma pessoa de muita idade”, mas como gosta do “convívio e de passear” decidiu experimentar. Já Elsa da Mouta, de S. Romão, inscreveu-se por causa de Introdução à Informática e de Hidroginástica, por ser “as duas aulas que mais a entusiasmam”, além do “convívio”.

O início de aulas da Universidade Sénior do Coronado é já pelas 9 horas de segunda-feira, com Inglês 1. Da lista das disciplinas fazem ainda parte Cultura Geral, Introdução às Artes, Introdução à Informática, Expressão Dramática/Teatro, História, Saúde e Bem-Estar e Hidroginástica. As aulas decorrem no polo de S. Mamede da Junta de Freguesia, sendo que a Hidroginástica será no Aquaplace, no âmbito de um protocolo estabelecido.

O presidente da Junta do Coronado, José Ferreira, afirmou que “as inscrições estão sempre abertas” e têm “uma mensalidade de 25 euros, para fazer face às despesas existentes, sobretudo com os materiais que se gastam”. “Há disciplinas que obrigam que tenhamos um investimento em material, sobretudo na disciplina Informática e de trabalhos materiais, bem como algumas saídas e visitas de estudo. As pessoas pagam aquela mensalidade e têm acesso a uma série de disciplinas e de materiais sem terem de pagar mais por isso, porque se calhar acabaria por ficar mais caro e dispendioso”, explicou.

José Ferreira contou que a Universidade Sénior surgiu de “uma necessidade e uma procura” que existe e se “sentia diariamente na freguesia”, cabendo à Junta a criação de “iniciativas que proporcionem, sobretudo a este público sénior, alguma ocupação dos seus tempos livres, em que se sintam úteis, que aprendam e que também ensinem e transmitem os seus conhecimentos”. “Penso que vai ser um projeto com sucesso e para continuar. Estou convencido, pelos contactos e pelo interesse demonstrado por parte das pessoas, que teremos um projeto para durar e para crescer na freguesia do Coronado”, concluiu.