Incêndio em casa devoluta deixou alarmados os moradores da zona da estação de comboios, em S. Romão do Coronado. Fogo esteve paredes meias com oficina de pneus.

O aparato gerado pelo alerta dado à 1.44 horas para um incêndio numa habitação deixou em sobressalto os habitantes da zona da estação de comboios, em S. Romão do Coronado.

Na madrugada de terça-feira, 30 de agosto, 28 elementos da corporação de Bombeiros da Trofa, apoiados por dez viaturas, combateram as chamas em “habitações devolutas”. “Quando chegou a primeira viatura, foi detetado um foco de incêndio, mas a principal preocupação prendeu-se com os edifícios contíguos, uma vez que existia uma oficia de recauchutagem, com bastantes pneus, e foi aí que se centrou a principal preocupação dos bombeiros”, explicou Filipe Coutinho, 2º comandante da corporação trofense.

As chamas foram “facilmente detetadas e combatidas”. Depois disso, os soldados da paz retiraram “alguma matéria” que ainda suscitava preocupação de forma a fazer um “rescaldo bem feito”.

 

De acordo com o proprietário da oficina de pneus, em declarações ao JN, o incêndio terá sido ateado “por vingança”, uma vez que “já tinham tentado roubar eletrodomésticos” do seu interior, cerca de “quinze dias antes”. A proprietária da casa retirou, então, o fogão e a máquina de lavar loiça que lá guardava. Fernando Reis defende que os ladrões terão tentado nova investida nessa madrugada, não conseguindo nada. “Tentaram roubar-me e como não conseguiram nenhuma das coisas ficaram ressabiados e chegaram fogo à casa”, afirmou.

Na rua em questão existem quatro casas desabitadas, todos pertencentes à mesma proprietária.

A operação foi dada como terminada às 3.40 horas da madrugada.

 

 

{fcomment}