No salão nobre dos Paços do Concelho, foi assinado hoje o protocolo de adesão do Município de Santo Tirso à Associação EUROPAN Portugal. A formalização do referido protocolo contou com as presenças de Castro Fernandes, o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso e de Nuno Portas, o professor arquitecto que preside à Associação Europan Portugal. A cerimónia contou ainda com as presenças do arquitecto Manuel Fernandes Sá e do geógrafo Álvaro Domingues. 

Na sua intervenção Nuno Portas começou por afirmar: "É sempre um prazer voltar a Santo Tirso" e, neste caso, para ajudar a repensar a reurbanização do território municipal". O urbanista não deixou de referir que nos anos oitenta do século passado esta região (Vale do Ave) representou para ele e mais alguns arquitectos e geógrafos "o melhor laboratório que um urbanista pode desejar para trabalhar as suas ideias". 

 O arquitecto e actual presidente da Europan Portugal explicou que "muita da originalidade desta associação de arquitectos reside no facto de ser dirigida por seniores com o objectivo de ajudar jovens arquitectos (com idade inferior a 40 anos) a desenvolverem trabalhos inovadores e, ao mesmo tempo realizáveis". Segundo o conceituado urbanista "a Europan não só ajudará a descobrir novos talentos como imporá aos espaços públicos das nossa cidades mais e melhores inovações conceptuais". E acrescentou "os nossos projectos serão feitos doravante nos terrenos ditos difíceis e não naqueles a que vulgarmente consideramos os «do lombo». São projectos a pensar, por exemplo, nas novas famílias parentais e na poupança energética". 

A Europan Portugal tem hoje 21 câmaras municipais como entidades associados, dez das quais da área metropolitana de Lisboa, cinco do Porto e as restantes cinco de fora das grandes aglomerações do país. 

Por sua vez, Castro Fernandes, o presidente da edilidade Tirsense começou por lembrar as principais razões que levaram Santo Tirso a candidatar-se a um lugar Europan no Concurso Europan 9, salientando que dentre essas razões "estava a promoção da qualidade do espaço urbano orientada sob a perspectiva da sustentabilidade", a "discussão e debate sob o tema do urbanismo e da arquitectura de qualidade enquanto um direito de todos os cidadãos" e ainda a "promoção desse debate através da organização de concurso público internacional destinados a jovens arquitectos, garantindo deste modo transparência e equidade na encomenda pública e abrindo o mercado de trabalho a jovens profissionais". 

O Autarca de Santo Tirso não deixou de lembrar que "Santo Tirso é uma cidade que possui qualidade urbanística intrínseca que merece ser discutida, debatida e valorizada através de processos desta natureza" e que "Santo Tirso possui espaços adequados à candidatura, já que são espaços de grande qualidade ambiental e paisagística que interessa recuperar para funções urbanas". 

Castro Fernandes congratulou-se pelo facto de Santo Tirso passar a ser um lugar Europan, afirmando: "Isso significa que a nossa cidade está, conjuntamente com mais 72 sítios de diferentes 22 países europeus, no centro das atenções de equipas multidisplinares, constituídas por jovens profissionais, que irão debruçar-se sobre questões tão actuais como são a sustentabilidade das cidades e a criação de novos espaços públicos". 

Sobre a localização do local escolhido para o projecto Europan 9, o presidente da Edilidade Tirsense afirmou: "O local escolhido é um local de eleição. Muito próximo do centro cívico, em directa conexão com espaços públicos de qualidade como o complexo desportivo municipal, a praça do município e os jardins envolventes e o Mosteiro de São Bento". 

E concluiu: "A gestão dos espaços públicos é sem dúvida um tema pertinente e uma competência da autarquia. Encontrar modelos que os tornem sustentáveis, reduzindo os custos de manutenção e indo ao encontro da tradição local é um objectivo que deve estar presente no acto do projecto. A nossa proposta de programa integra ainda espaços a construir. Equaciona-se a possibilidade de localização na área de equipamentos de uso público ligados à juventude e ao ambiente: uma casa da juventude e um espaço de educação ambiental". Estamos certos de que "esta será uma experiência única para a cidade e para o relançamento público das suas qualidades".


 

A Zona de Santo Tirso a intervencionar é conhecida pelo Vale da Ribeira do Matadouro: 

População:      24 649 (Cidade) 

Localização: Vale da Ribeira do Matadouro 

Área de Estudo:         aprox. 24 ha 

Área de Projecto:           6 ha

Santo Tirso possui potencialidades paisagísticas e patrimoniais: a formação montanhosa e os vales dos rios Ave e Leça, constituem pontos notáveis na definição de paisagens metropolitanas estruturantes. 
O sistema de acessos, com ligação ao sistema viário principal do país, confere a esta cidade uma significativa atractividade, à escala metropolitana. O processo de valorização envolve um tópico estratégico do espaço público:

  • O espaço de uso público, enquanto estrutura de ligação e local privilegiado para uma imagem forte do território, qualificando-o;
  • A definição do verde urbano e a exploração das suas qualidades enquanto construtor da imagem urbana e do território.

 

Escala Urbana (Área de Estudo) 
A área de estudo situa-se na proximidade do centro cívico de Santo Tirso onde se localiza o edifício da Câmara Municipal, e o complexo desportivo municipal.  
Alguns terrenos de propriedade municipal constituem bolsas livres e edificáveis, que constituem uma oportunidade para definir a fronteira entre edificado e espaço livre, a ser recuperado para funções urbanas. 

Escala de Proximidade (Área de Projecto) 
Colmatação da edificação com valências correntes (habitação e pequeno comércio de apoio ou serviços). Proposta de qualificação e pontuação com novos equipamentos. 

Objectivos Programáticos

Espaço urbano estruturado por uma rede de espaços públicos naturais (verdes e/ou de utilização colectiva considerando caminhos pedonais e cicláveis), habitação e equipamentos pontuais: pousada da juventude atelier de educação ambiental e horto.