Para além da construção da bancada lateral do polidesportivo de Bougado, o subsídio de 22 mil euros será ainda aplicado em outras obras necessárias para a colectividade.

Cerca de 22 mil euros, dos quais 15 mil são comparticipados pelo Estado, é o montante atribuído ao Centro Recreativo de Bougado (CRB) para a construção da bancada lateral do polidesportivo de Bougado.

Os protocolos, referentes ao sub-programa 2 do Programa de Equipamentos Urbanos de Utilização Colectiva, foram assinados quinta-feira no Instituto do Desporto de Portugal com quatro instituições do distrito do Porto. A cerimónia foi presidida por Eduardo Cabrita, Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local, que explicou os objectivos do programa. “Estes protocolos inserem-se num apoio à dinâmica associativa local, dinâmica cultural, social, de defesa do património ligado à Igreja”, avançou em declarações ao NT/TrofaTv. De acordo com Eduardo Cabrita, os subsídios “são investimentos que promovem o sentido de auto-estima local, o sentido de orgulho nas raízes”, tratando-se de “um apoio do Governo que faz a diferença entre um sonho adiado e uma obra realizada”.

Para além da construção da bancada lateral do polidesportivo de Bougado, o subsídio atribuído ao CRB será ainda aplicado em outras obras necessárias para a colectividade. “Faltam-nos várias obras, o piso está um bocado mau, estamos a acabar as bancadas e temos de arranjar os balneários para aquilo ficar em condições”, referiu José Rebelo Maia, presidente do C.R.B.

Em declarações ao NT/TrofaTv, José Maia fez um balanço positivo da actividade do centro, do qual fazem parte várias equipas desportivas, como a de futebol de salão, a de veteranos, a feminina e a equipa de voleibol.

Dos projectos de futuro faz parte ainda uma outra obra, já desejada há algum tempo pelos responsáveis do centro. “Em tempos falei com o presidente da Junta de Santiago de Bougado para nos arranjar o piso fora do rectângulo de jogo e penso que vamos arrancar também com essa obra”, adiantou o presidente.

Destinado a instituições privadas sem fins lucrativos, o sub programa 2 vai financiar este ano 73 projectos nos 18 distritos do país, num total de mais de seis milhões de euros de investimento.