A autarquia da Trofa promoveu o passeio anual sénior e levou 1200 pessoas a Amarante, no sábado, 7 de setembro. 

O concelho de Amarante foi “invadido” por trofenses, durante o dia de sábado. De cada um dos lados da ponte sobre o rio Tâmega, cerca de 1200 seniores, identificados por bonés verdes, dispersavam-se por várias zonas do centro histórico. Enquanto uns aproveitavam as sombras das árvores para conversar e comer um gelado, outros apreciavam monumentos e edifícios, como mosteiro de S. Gonçalo.

Joaquim Costa, de S. Mamede do Coronado, era um dos que passeava por um dos corredores do centro. Em tempos idos, enquanto trabalhava, passou muitas vezes por Amarante, mas já sentia o local “estranho” pelo tempo que passou. “Adoro as paisagens e os monumentos”, afirmou ao NT. Já a conterrânea Maria Vieira aproveita todos os passeios e convívios proporcionados pela autarquia para “passear”, sob pena de “nunca sair de casa”. “Vim ver aquela igreja, onde tem S. Gonçalo, que é muito bonita”, relatou.

De Santiago de Bougado, Jacinta Cruz explicou que participa no passeio sénior para “conviver com outras pessoas, passear e conhecer terras”, opinião que é corroborada pela guidoense Laurinda Carvalho.

No parque florestal, mesmo junto ao rio, a Câmara Municipal colocou mesas para que os participantes pudessem almoçar e estarem confortáveis enquanto o Rancho Folclórico de Santa Cruz, de Vila Meã, atuava.

Joana Lima, presidente da autarquia, agradeceu “o civismo e a forma de estar” dos seniores e explicou que o passeio anual, desde que este executivo camarário tomou posse, “é organizado num lugar aprazível e próximo da Trofa, porque os seniores não podem fazer muitos quilómetros e para não ficar muito caro ao erário trofense”. “Desta forma, conseguimos conciliar a cultura, o bem-estar das pessoas e a contenção financeira da Câmara”, sublinhou.