Centro Cívico e capela mortuária de Santiago vão mesmo sair do papel. Quem o diz é António Azevedo, presidente da Junta de Santiago de Bougado que, em entrevista exclusiva ao NT, explicou a formar “conturbada” como tem decorrido este processo.

Não tem sido fácil para António Azevedo transformar as maquetas dos centro cívico e capela mortuária de Santiago de Bougado em obra de cimento e betão. O projecto começou “a ser trabalhado há longos meses” mas “parece ter uma data aproximada para o inicio das obras”. Na última reunião de Câmara e Assembleia Municipal foi aprovado por unanimidade o reconhecimento do Interesse Público Municipal do Centro Cívico de Santiago. O objectivo deste procedimento é, segundo António Azevedo, “acelerar o início das obras que pela via negocial com os donos dos terrenos se tornou praticamente impossível”. O edil garante que “durante cerca de um ano estive em negociações quer com o Dr. Sampaio, quer com os herdeiros do Sr Cruz mas infelizmente não foi possível chegar a um acordo”, frisou. “Apresentei várias alternativas desde a compra dos terrenos, passando pela permuta mas nenhuma foi aceite”, adiantou o autarca que justifica a escolha do local para instalações daqueles equipamentos “pela proximidade com a igreja, com o cemitério paroquial e por se situar num dos locais mais urbanos da freguesia”.

A “gota de água que fez transbordar” a paciência de António Azevedo terá sido, segundo o autarca “o facto de termos combinado uma reunião com os proprietários para 31 de Janeiro para tentarmos chegar a um consenso, à qual os mesmos nunca compareceram e disseram que a única forma de construir naquele local seria pela via da expropriação”, adiantou. “Entendi aquilo como um desafio e por isso decidi solicitar o reconhecimento de utilidade pública do projecto”.

O processo legal seguirá os procedimentos legais e deverá culminar com a expropriação dos terrenos. António Azevedo adiantou ainda que de acordo com o novo Plano Director municipal da Trofa “estes terrenos estão classificados como de zona de construção de equipamentos, o que de certa forma facilita”, adiantou

De acordo com António Azevedo “a conclusão da capela mortuária deverá efectivar-se em 2010, porque penso que este ano (2009) vamos conseguir começar a obra. Início da obra do centro comunitário em 2011 com conclusão em 2012, início da obras e conclusão do centro cívico de jardins e passeios, em 2013 e 2014”, adiantou justificando assim a sua vontade de se recandidatar para mais quatro anos de mandato frente aos destinos de Santiago de Bougado.