Trazer uma resposta individualizada e à medida das necessidades de aprendizagem e de disponibilidade, especialmente dos ativos das empresas do setor Metalúrgico, Metalomecânico e Eletromecânico é o principal propósito da nova resposta formativa apresentada pelo núcleo da Trofa do CENFIM.

A nova oficina individual de formação foi inaugurada a 28 de novembro, numa cerimónia que contou com a presença de cerca de 50 pessoas, entre os quais representantes das autarquias da Trofa e de Vila Nova de Famalicão, o diretor nacional do CENFIM e diretores de serviços do Instituto do Emprego e Formação Profissional.

Esta nova oficina é uma resposta efetiva da instituição às necessidades das organizações, no âmbito do CNC – Programação, Maquinação e Setup, e constitui uma “modalidade formativa que pauta pela flexibilidade e adaptabilidade da aprendizagem, pois permite que cada formando inicie a formação quando quiser, escolhendo o seu próprio horário e evoluindo no processo de aprendizagem ao seu próprio ritmo, visando sempre uma maior eficácia nos processos de aprendizagem”.

“E porque a aprendizagem deve ser um espaço de desfrute do conhecimento, procurámos renovar as velhas estratégias pedagógicas e desenvolver recursos de aprendizagem verdadeiramente inovadores, interativos e estimulantes, onde cada formando, através de um mapa de aprendizagens, percorre áreas funcionais, devidamente assinaladas na oficina de CNC, com vista à aquisição de competências”, explicou o diretor do núcleo da Trofa do CENFIM, Adelino Santos, que destacou ainda a potencialidade do projeto no incentivo ao desenvolvimento da “capacidade autodidata” dos formandos.

Os participantes tiveram acesso a uma explicação sobre a nova metodologia formativa, que foi apresentada pelos engenheiros José Fonseca e Jorge Maurício, do CENFIM, e a uma visita guiada ao espaço.

Entrega de 180 diplomas

Nesta cerimónia, contou-se ainda com a presença de diversos tutores de estágio que testemunharam a entrega de 180 certificados e diplomas a jovens e adultos que concluíram, com sucesso, um percurso de qualificação no CENFIM da Trofa. Dos diplomados, 97 por cento ficou integrado no mercado de trabalho na área correspondente à saída e perfil profissional do curso que realizaram e dois por cento prosseguiu estudos.

Durante a cerimónia, e com a colaboração da empresa TSF, na pessoa de Pedro Sousa, foram distinguidos os três formandos com melhor desempenho: Diogo Gomes, João Fernandes e Vítor Meireles.

Foram ainda publicamente reconhecidos os formandos Rui Carvalho e Rui Martins, bem como a equipa técnica que os orientou, que obtiveram a distinta medalha de excelência no Campeonato Mundial das Profissões, que decorreu em Kazan, Rússia, em agosto, em Fresagem CNC e Eletromecânica Industrial, respetivamente.

As palavras de encerramento ficaram a cargo do presidente do Município da Trofa, Sérgio Humberto, que felicitou todos os diplomados pela aposta formativa que fizeram ao ter escolhido o CENFIM como a sua “escola” e garantirem, desta forma, uma carreira profissional promissora. O autarca congratulou ainda o CENFIM por estar um passo à frente na qualidade da formação e recursos pedagógicos.

Focando também o seu discurso na necessidade de empregados qualificados na região e na importância do corredor norte de exportação, constituído pela Trofa, Maia e Vila Nova de Famalicão, para a economia nacional, Sérgio Humberto felicitou ainda os formandos por optarem pela formação profissional, mencionando que na atual conjuntura económica serão mais bem remunerados do que alguns cursos superiores.