Escolas e instituições do concelho da Trofa celebraram na quarta-feira, dia 22 de maio, o Dia do Abraço, criando uma onda de afetos e fomentando relações intergeracionais. 

Um abraço é um símbolo de afetividade, que transmite afetos como o amor, carinho, compaixão, ternura e amizade. Nesta quarta-feira, as escolas e instituições do concelho da Trofa assinalaram o Dia do Abraço, com diversas atividades.

Os alunos da Escola Básica e Jardim de Infância de Paradela, em S. Martinho de Bougado, estiveram na estação da CP, onde promoveram a atividade “Abraços em Flor”, que consistia em dar um abraço e uma flor às pessoas que por ali passavam.

Para Catarina Ramalho e Pedro Pinto, alunos do 3º ano, esta ação foi “fixe” e “bonita”, tendo recebido um feedback positivo da comunidade, que lhes agradecia pelo gesto, que fica “simpático”. Também para a Inês Borges e Inês Santos, do 4º ano, foi “divertido estar com outras pessoas e ao ar livre”, tendo gostado de estarem “a dar abraços às pessoas” e a “oferecer flores”.

A coordenadora da escola de Paradela, Júlia Macedo, contou que quando fez a proposta aos professores, estes “aceitaram” de imediato, por acharem a “ideia muito bonita”. Como ficava “um bocado longe” deslocarem-se às associações, lembraram-se que podia “ser bonito” irem até à Estação da CP e daí surgiu o título “Abraço em Flor”, pois além do “abraço para festejar o dia, também ofereceram uma flor a cada pessoa”.

Quando Júlia Macedo transmitiu a ideia às crianças, estas ficaram “logo todas contentes”, porque “gostam do ar livre e do facto de saírem do espaço da escola”.

Quanto a esta iniciativa proposta pela Câmara da Trofa, a coordenadora da escola afirmou que era “muito interessante e importante”, pois, desta forma, as crianças podem “contactar com outras pessoas”, o que, no fundo, é “formação cívica”. “À escola não interessa só dar a conhecer o estudo do meio, a matemática e a língua portuguesa. Acho que mais importante do que isso são estes valores que temos que transmitir às crianças, porque infelizmente hoje em dia toda a gente sabe que há poucos valores incutidos nos miúdos e nós tentamos de uma forma diferente e prática incutir estes valores”, salientou.

Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, denotou que esta é uma iniciativa desenvolvida pela Casa da Cultura da Trofa “em colaboração” com o pelouro de Educação, escolas e instituições do concelho. A ideia desta iniciativa surgiu porque, “cada vez mais devemos interagir com todas as gerações, desde os mais novos até aos com mais idade”, e demonstrar “o carinho que temos uns pelos outros”, fortalecendo “as relações intergeracionais”. “Só assim se consegue uma interação afetiva e efetiva de forma a que conheçamos, valorizemos e criamos esta onda de afetividade, de valores que tanto precisamos no momento de crise que estamos a viver. Acho que cada vez mais estes pequenos gestos, que é apenas um abraço, mas um abraço sentido entre as crianças e outras pessoas, sejam fortes para podermos aguentar momentos difíceis, nomeadamente do ponto de vista social e financeiro”, referiu.

A presidente da autarquia estava “surpreendidíssima com a receção” que teve por parte dos alunos da escola de Paradela. O facto de estarem a distribuir flores e abraços pelas pessoas que ali passavam, demonstra, para Joana Lima, “o nosso bairrismo e a nossa capacidade de interagir uns com os outros”.

Todas as escolas e instituições que se associaram a esta iniciativa desenvolveram uma atividade na escola ou noutro local, onde ofereceram um abraço. Nesse sentido, a Escola Básica do Muro realizou a atividade “Abrace”, e a de Finzes executou a atividade “Abracinhos ternurentos e fofinhos”. Já o Centro Social e Paroquial de S. Martinho de Bougado efetuou a ação “Vamos dar as Mãos”.

As turmas oito e dez da EB1/JI de Finzes deslocaram-se ao lar da Santa Casa da Misericórdia para desenvolveram a atividade “O Abraço da Primavera”, enquanto os alunos do Paranho deslocaram-se à APPACDM para a ação “O mundo ideal dos abraços”. Já a EB2/3 Professor Napoleão Sousa Marques levou o seu abraço ao Lar Padre Joaquim Ribeiro e a Creche e Jardim de Infância da Misericórdia da Trofa levou o seu “abraço aos avós”. A Casa da Cultura da Trofa e a EB1/JI deram “O abraço da Cultura”.