A inexistência de verbas inscritas na proposta de Orçamento de Estado para o ano 2008 gerou contestação da Câmara Municipal da Trofa e da CDU que, em comunicado reprovam a atitude do Governo.

 Em comunicado, a autarquia fez saber que " as verbas do PIDDAC são inexistentes, por isso somos obrigados a tomar uma posição pública de denúncia e indignação e simultaneamente mostrar a nossa estupefacção por tão grande injustiça.

Perante esta atitude arbitrária e inadequada do Governo, não podemos calar a nossa revolta. Onde está o combate  às assimetrias regionais, que o Governo socialista tem anunciado? Onde está a tão apregoada defesa da descentralização? Onde está a aposta no investimento público como meio para corrigir desigualdades competitivas e de qualidade de vida?"

No documento, a Câmara reconhece que "muito embora o PIDDAC para 2008, integre no orçamento global do MOPTC, verbas destinadas ao projecto da Variante Ferroviária à Linha do Minho, dentro do perímetro concelhio da Trofa, com um orçamento aproximado de cinquenta milhões de euros, perguntamos com que critérios se atribuem as verbas do PIDDAC?", interrogou.

A autarquia afirma ainda que "da lista de investimentos prioritários propostos pela Câmara Municipal, de enorme importância para as populações do concelho, nenhum mereceu a devida atenção por parte do Governo, o que constitui um motivo de profundo desagrado".

Das propostas apresentadas "pela sua premência, destacamos na área da Educação, a construção de uma nova EB1,2,3 e Jardim de Infância em Santiago de Bougado, ainda o reforço de toda a rede pré-escolar do concelho e a ampliação e requalificação da EB2/3 de S. Romão do Coronado para poder receber o ensino secundário com uma vertente muito virada para o ensino profissional… Já na área da Segurança chamamos a atenção para a posposta de construção da tão ansiada e já prometida pelo Governo esquadra da Polícia de Segurança Pública na Trofa. Como constatamos, a distribuição de verbas do PIDDAC 2008 contraria a política defendida pelo Governo de incentivo ao crescimento e desenvolvimento dos municípios, o que não deixa de levantar sérias dúvidas sobre os critérios de distribuição dos investimentos da Administração Central.

"É quase caricato que o Governo socialista tenha esquecido o nosso concelho", pode ler-se no documento.

Já a CDU lança críticas ao Governo, já que sendo a " Trofa, o mais jovem concelho do país, com profundos problemas infraestruturais, sem sede própria da Câmara Municipal, com escolas sobrelotadas nos vários níveis de ensino, que aguarda há anos pela concretização de promessas de construção de infraestruturas viárias (variante da linha do Caminho de Ferro, Metro de Superfície, Variantes Rodoviárias às EN14 e EN104), que permanece sem uma única esquadra da PSP em todo o concelho… é tratado de forma arrogante e com plena desconsideração por este governo do PS" afirmam os comunistas em comunicado..

De acordo com o documento "a Comissão Concelhia da Trofa do PCP, rejeita veementemente esta proposta e assume o compromisso com a população do concelho de que o Grupo Parlamentar do PCP tudo fará para, no decorrer da discussão, alterar esta proposta insultuosa para o concelho e para todos os trofenses".