Este ano, um novo recorde foi alcançado na Feira Anual: 400 cavalos estiveram no recinto para as diversas provas ou apenas para passear e embelezar o certame. 

Cerca de 400 cavalos estiveram na Feira Anual da Trofa para participar nos concursos e espetáculos, ou apenas para passear. Este número comprova a evolução da vertente equestre e que muito tem contribuído para o sucesso do certame. Este ano, o cavalo Campeão dos Campeões pertence à Coudelaria Santa Margarida, de Luís Pidwell, que participou pela primeira vez no concurso de Modelo e Andamentos, na Trofa. 

El Rei II da Sernadinha impressionou pela classe e beleza na prova rainha da vertente equina da Feira Anual e arrecadou a medalha de ouro, à frente da fêmea Esprela de Sena da Coudelaria de Afonso Serra Neves.

Luís Pidwell manifestou uma “satisfação enorme” pelo facto de ter um Campeão dos Campeões da Trofa na primeira participação no certame. “Hoje, esta Feira da Trofa é muito importante e tudo indica que vai continuar a melhorar e a progredir. Dentro de pouco tempo será uma referência em feiras de cavalos”, frisou.

Este ano, o campeonato regional de equitação do trabalho regressou ao certame, dando mais qualidade ao evento. Joana Matos, Chanceler da Confraria do Cavalo, responsável pela parte equestre da Feira, confirmou a presença de “coudelarias de renome nacional”, que contribuem para “uma maior divulgação” do evento.

E sobre a importância da vertente equina para atrair a população, Joana Matos explicou que esta complementa a parte agropecuária, porque “dá espetáculo” ao certame.

O título de melhor criador desta edição da Feira Anual foi entregue a Afonso Serra Neves, que viu o elemento da sua Coudelaria, João Paulo Cardoso, arrecadar o troféu de melhor apresentador. 

Para além das provas, a Confraria do Cavalo preparou ainda a tradicional garraiada e a gala de sábado à noite. Também se realizou o horse paper, as cavalhadas e derby de atrelagem. 

Foram entronizados na Confraria do Cavalo da Trofa os novos confrades honorários, Luís Pidwell, o presidente da Associação Puro Sangue Lusitano, Luís Vinhas, e o presidente da Delta Cafés, Rui Nabeiro.

{fcomment}