catNum jogo sem grandes esforços o CAT venceu o ALA de Gondomar nos três sets, este fim-de-semana. Manuel Barbosa, treinador da equipa “experimentou todas as jogadoras” e garantiu a luta pelo Tri-campeonato e pela Taça de Portugal.

 A época na divisão principal de voleibol feminino começou este fim-de-semana para o CAT. E começou sem percalços, com uma vitória frente ao ALA de Gondomar.

A equipa da Trofa venceu pelos parciais de 25/16, 25/15 e 25/15 o que permitiu ao treinador, Manuel Barbosa utilizar toda a equipa.

“Era o início que nós queríamos, era com uma vitória e foi um bom jogo. Deu para rodarmos a equipa toda, para tentarmos outras situações e estão todas de parabéns. Nós sabíamos que era um jogo mais acessível e sabíamos que poderíamos aproveita-lo para fazer algumas experiências. A minha equipa esteve à altura daquilo que eu esperava, muito concentrada”, afirmou.

Satisfeito com a prestação das suas pupilas Manuel Barbosa explicou que é “nestes jogos, com equipas que não são consideradas favoritas que temos de ganhar, para não haver nenhum percalço para a segunda fase e foi isso que nós fizemos, um bom jogo e uma boa vitória”.

Depois do primeiro jogo, Manuel Barbosa garante já que “o objectivo é estar presentes na final da Taça de Portugal e do campeonato”.

Também satisfeito com a sua equipa estava Alberto Neves, treinador do ALA de Gondomar, porque apesar de o resultado não ter sido positivo “gostei da exibição da minha equipa”. Para o treinador a derrota não foi uma surpresa visto que “as equipas são diferentes, têm objectivos diferentes, com orçamentos completamente diferentes. E também tivemos saídas e entradas de jogadoras e estamos ainda à procura de uma equipa”, afirmou.

“Mas para já gostei do comportamento da equipa. Espero alcançar os nossos objectivos que é ficar dentro dos seis primeiros lugares do campeonato e é para isso que estamos a trabalhar”, acrescentou Neves.

O CAT é Bi-Campeão Nacional da divisão A1 Feminino e candidato à conquista do tri-campeonato. Nesta época apresenta um plantel praticamente inalterado, sendo excepção a contratação da central brasileira Tamâra Hoffman e da líbero Maria Carlos.

A equipa técnica mantêm-se inalterada, continuando à responsabilidade do Professor Manuel Barbosa.

 

 

Número de jogadoras estrangeiras será limitado

 

A época que começou este fim-de-semana será a última em que as equipas poderão utilizar nos plantéis um número ilimitado de jogadores estrangeiros.

A regra foi imposta pela Federação Internacional (FIVB) que pretende operar para atenuar o problema da invasão de atletas estrangeiros nos campeonatos nacionais e começará a ser colocada em prática a partir da época 2009/2010.

Portugal será um dos países mais afectados, devido ao elevado número de estrangeiros a jogar no Campeonato Nacional.

Assim, a partir da próxima época cada equipa poderá ter apenas quatro jogadores não nacionais, desde que um deles seja líbero. Na época seguinte poderá jogar com três nas mesmas circunstâncias.