CAT assegurou o lugar que faltava ocupar no play-off para o apuramento de campeão da Divisão A1 de voleibol feminino.

O play-off para o apuramento do campeão da Divisão A1 de voleibol feminino vai ser disputado entre o Ribeirense e o Clube Académico da Trofa. Se há muito que as açorianas tinham garantido um lugar na final, às trofenses bastava manterem a vantagem sobre o Sports Madeira na tabela classificativa.

Na última jornada dupla, diante do Ribeirense, o CAT conseguiu o objetivo mesmo com a derrota por 3-0, no sábado, pois o Sports Madeira perdeu com o Gueifães no outro jogo da 2ª fase.

No domingo, a partida entre a formação da Trofa e o Ribeirense servia apenas para cumprir calendário, mas não deixou de ser uma das melhores desta temporada.

Se no primeiro set as trofenses tiveram poucos argumentos para contrariar o domínio do adversário, que venceu por 11-25, no seguinte equilibraram a partida. A vantagem confortável conseguida já no segundo tempo técnico (16-10) deu margem de manobra para que as atuais campeãs nacionais igualassem o marcador.

A motivação por ter garantido a presença na final continuou a dar frutos, pois o CAT conseguiu a reviravolta e chegou à vantagem na partida, ao vencer o terceiro parcial por 25-18.

Mas o Ribeirense não ia facilitar mais a tarefa das adversárias. No quarto set, o treinador Manuel Barbosa não pôde contar mais com a lesionada Vanessa Rodrigues e viu a decisão do jogo ser adiada para a negra, graças à vitória das açorianas (11-25).

O derradeiro parcial foi disputado taco a taco, mas o Ribeirense acabou por ter mais força para distanciar-se e assegurar o triunfo (11-15).

Depois do objetivo cumprido, Manuel Barbosa não deixou de elogiar “a capacidade do grupo para sobreviver às adversidades”. “Não é qualquer equipa que resiste a estar seis meses sem receber, a perder jogadoras a meio da época e atletas a jogar lesionadas. Quando este grupo ainda não se afogou, é sempre de esperar uma resposta positiva”, frisou.

O treinador do clube da Trofa admitiu que o Ribeirense “é o grande favorito”, mas não atirou “a toalha ao chão”, referindo que “o CAT vai aproveitar a percentagem que tiver”.

Já Paulo Barreto, técnico da formação das Ribeiras, “estava à espera” de um adversário lutador, mas agora as atenções estão viradas para “o trabalho desta semana” antes do início do play-off de apuramento de campeão. “Do Ribeirense podem esperar uma equipa forte, aguerrida e lutadora. Temos um total respeito pelo Trofa, mas estamos focados neste objetivo”, adiantou.

O primeiro jogo realiza-se no sábado, 23 de abril, na ilha do Pico, nos Açores, às 20 horas locais.