Uma viagem no tempo é a proposta da exposição sobre o Castro de  Alvarelhos, inaugurada na passada sexta-feira, na Casa da Cultura da Trofa. Depois das escavações concluídas, foram mostrados os artefactos encontrados e feita uma visita guiada à estação arqueológica na freguesia de Alvarelhos.

  No âmbito das comemorações das Jornadas Europeias do Património a Casa da Cultura recebe diversas peças de cerâmica e metálicas, de bronze, ferro, mais de 100 moedas, e pedras do tempo da ocupação romana e pré-romana, encontradas nas escavações arqueológicas no Castro de Alvarelhos.

Dar a conhecer à população os trabalhos de investigação e de valorização que decorreram na Estação Arqueológica do Castro de Alvarelhos é o objectivo principal desta exposição inaugurada na passada sexta-feira.

Segundo António Pontes, vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Trofa o objectivo destas Jornadas Europeias do Património Europeia é “promover algo que teve a ver com a nossa história e com o nosso património. Recordo que há uns anos atrás fizemos a evocação às invasões francesas, foi uma espécie de viajar no tempo e também já fizemos a evocação do Castro de Alvarelhos já em anos anteriores, este ano por força maior está novamente o Castro em destaque”.

São “mais de dois mil anos de história”, que Pontes pretende que “não sejam esquecidos”, visto que “estes elementos dão para perceber a forma de viver dos povos que na altura ocuparam estas terras que constituem o concelho da Trofa”.

Mas para além da exposição que mostra vários dos artefactos recolhidos durante um trabalho que durou seis meses, e onde foram investidos mais de 400 mil euros, a autarquia organizou ainda uma visita guiada à estação arqueológica na freguesia de Alvarelhos, no domingo.

Numa visita guiada foram dados a conhecer os principais pontos, já descobertos pelos arqueólogos, e explicada a finalidade de cada espaço, neste momento apenas formado por pedras. “Foi realizado aqui um trabalho científico, em simultâneo foram consolidadas e recuperadas e até restauradas um conjunto de estruturas ou ruínas, na minha opinião um trabalho meritório, feito até por uma empresa de construção da Trofa, que nos ajuda a perceber o modo de viver na altura”, explicou o vereador.

Depois concluída a fase de requalificação, de acordo com António Pontes, a autarquia passa agora para a última fase de intervenção no Castro: “Vamos definir espaços e corredores de visita aqui ao Castro, para que quem venha cá fazer uma visita possa perceber por onde se tem de deslocar e mesmo não tendo uma pessoa a explicar, possa perceber exactamente o que está a ver e de uma forma autónoma fazer o percurso em segurança”.

As vias de acesso à estação arqueológica também são motivo de preocupação, mas a autarquia promete “fazer alguns pequenos arranjos aos acessos”, no entanto e segundo António Pontes, “não convém modificar muito as vias, até para manter este aspecto calmo. Mas vamos fazer alguns arranjos e sobretudo vamos sinalizar os acessos aqui ao Castro porque muitas das pessoas ao passar aqui na Estrada Nacional 318, que está aqui perto, não fazem ideia que existe aqui um sítio arqueológico”, concluiu.

De referir ainda que a exposição sobre o Castro de Alvarelhos encontra-se na Sala de Exposições Permanentes da Casa da Cultura da Trofa. Os artefactos descobertos estarão expostos ao publico durante cerca de dois meses.