O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da GNR de Matosinhos desmantelou esta quarta-feira uma rede que se dedicava ao lenocínio, trafico e exploração de seres humanos. Foram efectuadas 7 buscas a duas residências e cinco a casas de alterne, uma das quais na rua D. Pedro V, na Trofa. Quatro pessoas foram detidas e são esta quinta-feira presentes ao Tribunal de Instrução Criminal do Porto.

  A bandeira nacional servia de sinal para identificar as cinco casas de alterne, uma das quais em pleno centro da cidade da trofa.

Eram sete horas da manhã quando começou a operação, desencadeada nos concelhos de Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Porto , Trofa e na cidade de Ermesinde e levada a cabo por 50 militares da Guarda Nacional Republicana (30 agentes da PIR e 20 do NIC de Matosinhos e Santo Tirso).

Duas cidadãs brasileiras em situação ilegal e um casal de portugueses, residentes no Porto, foram detidos na sequência da operação. O casal é acusado de lenocínio, associação criminosa, tráfico de pessoas, branqueamento de capitais, auxílio à emigração ilegal e receptação de material furtado.

Na Trofa aquando da busca que decorreu durante a manha desta quarta-feira, os militares da GNR encontraram no interior da habitação três alegados clientes, que foram ouvidos como testemunhas e apreenderam cerca de 3500 euros em dinheiro.

A GNR apreendeu ainda um plasma de 42 polegadas, um LCD de 20 polegadas, um televisor com móvel de 78 cm, três computadores portáteis, 350 euros em dinheiro, 500 gramas em ouro,e um automóvel ligeiro de passageiros. Do material aprendido constam ainda 21 telemóveis, 12 vibradores, 30 livros de sexo, 10 DVD'S, 4 mil preservativos e vários livros do registo da contabilidade das casas.

Esta rede estaria já a ser vigiada há alguns meses e o alerta terá chegado devido a problemas de má vizinhança que acabaram por chamar a atenção das autoridades. Durante varinos meses os agentes de investigação estariam a seguir os passos dos dois alegados cabecilhas da rede, um homem e uma mulher. As casas teriam uma média de 30 a 40 clientes por dia.

A operação que teve inicio às 7 horas da manha decorria ainda à hora do fecho desta edição. De acordo com fonte do Destacamento de Matosinhos os quatro detidos vão ser esta quinta-feira presentes ao Tribunal de instrução Criminal do Porto, que deverá decretar a expulsão das duas brasileiras que se presume estejam em situação ilegal.