António Ferreira nem queria acreditar quando, a meio de uma tarde de pescaria, conseguiu pescar uma carpa de cerca de 70 centímetros e com mais de sete quilogramas, em pleno Rio Ave, na Maganha.

Para além da dimensão anormal do animal, o episódio torna-se mais caricato pelo facto de o pescador, sócio da secção de pesca da Associação Cultural e Recreativa de S. Pedro da Maganha, utilizar anzol 16 e seda 18, ferramentas mais frágeis de pesca. “Demorei mais de um quarto de hora para tentar tirar o peixe”, afirmou.