A Igreja Paroquial de Alvarelhos recuou no tempo e nas suas paredes deu eco o som das notas musicais cantadas em gregoriano pelo Grupo Coral Masculino de Alvarelhos.

A eucaristia de domingo em Alvarelhos ficou marcada pela solenização em latim, a cargo do Grupo Coral Masculino daquela paróquia.

Para esta celebração, o grupo trabalhou durante nove meses. No canto gregoriano existem “muitas notas que são dissonantes e que não batem certo com a música, ou seja, é necessário uma preparação muito grande e expressão vocal”, explicou ao NT Filipe Moreira, ensaiador do grupo. “É muito difícil de cantar”, confessou.

Os elementos do grupo “gostaram da ideia inicial” e desde Setembro que se prepararam para cantar em gregoriano. Esta preparação incluiu mesmo retiros e “muito trabalho árduo”.

O objectivo do Grupo Coral Masculino de Alvarelhos era que “as pessoas gostassem, não só do canto gregoriano, mas da própria língua latina” explicou o ensaiador. “O latim não deve ser esquecido, até porque foi a língua base da Igreja”, acrescentou.

E, a julgar pelas opiniões recolhidas no final da eucaristia, as pessoas gostaram dos cantos gregorianos. Manuel Machado ainda tem lembranças do tempo em que a missa era celebrada em latim e considerou “muito bonito” o que o grupo fez, acrescentando que “podem continuar”.

Augusto Silva declarou que foi “a primeira vez” que assistiu à missa em canto gregoriano e acredita que esta também pode ser uma forma de “chamar a juventude”. “Acho que o grupo deve prosseguir com esta ideia, que é muito boa”, asseverou. Já Alice Santos que foi cantora e reconhece que “é muito difícil cantar em gregoriano e o grupo fez um bom trabalho”. “Gostei de ouvir”, garantiu a alvarelhense.

Filipe Moreira adiantou que “sem dúvida é uma ideia a repetir”, mas preparada com calma, pois vão entrar num período de férias, em que é mais difícil ensaiar. “Talvez no final do ano surja outra celebração em gregoriano”, afirmou.

No final da eucaristia, o ensaiador não escondeu a satisfação: “Correu tudo bem e eles estão de parabéns”.

Cantar em gregoriano “pode ser uma forma de divulgar ainda mais o grupo coral, apesar de não ser essa a intenção, porque o objectivo é mesmo que o canto gregoriano não seja esquecido e não desapareça”, sublinhou Filipe Moreira. “A divulgação do grupo é um acréscimo porque há poucos coros que façam isso nas redondezas”, ressalvou.

A ideia partiu do pároco de Alvarelhos, José Ramos, que durante a celebração dominical explicou a todos os que nela participaram as raízes do canto gregoriano e um pouco da história do latim na Igreja Católica.

O Grupo Coral Masculino de Alvarelhos existe há 11 anos e é considerado um dos melhores do concelho. Este reconhecimento deve-se, também, ao repertório que apresentam, conforme explicou Filipe Moreira: “Quando nascemos em 1998, já foi com a ideia de ser um grupo diferente e, talvez por isso, é que tem tanta aceitação por parte das pessoas, porque é mais música religiosa e não tanto música sacro-litúrgica, que a maior parte dos coros usa”. No entanto, o ensaiador do grupo revela que “apenas fazem aquilo que gostam e que se empenham no projecto”. E, “como diz Santo Agostinho, cantar é louvar a Deus duas vezes”.