O Centro Recreativo de Bougado comemorou a 22 de Junho o seu 21º aniversário. Em época de festa, o NT ouviu Luís Neves, tesoureiro da colectividade, que fez um balanço de “21 anos ao serviço do desporto”.

O Centro Recreativo de Bougado, CRB como é conhecido, começou a sua actividade no longínquo ano de 1988, “apesar de se considerar 1989 como o ano da fundação”, explicou o tesoureiro da associação, Luís Neves, ao NT.

A associação surgiu por iniciativa de um grupo de jovens que na altura praticava futebol de onze, apenas durante o período de Verão, nos torneios então existentes. No entanto, os jovens “queriam que essa prática se estendesse por um período mais longo”. Assim, ao terem conhecimento da existência de um campeonato concelhio de futebol amador, no concelho de Santo Tirso, ao qual a Trofa pertencia, resolveram avançar para a participação nesse campeonato. No entanto, isso implicava a criação de uma associação. E foi assim que acabou por nascer o CRB. “Na altura, com o grande apoio daquele que viria a ser o seu primeiro presidente, Fernando Silva “Pijuca”, que patrocinou todas as despesas de legalização da colectividade, nasceu o Centro Recreativo de Bougado”, recordou.

No entanto, os seus fundadores “estavam longe de adivinhar que o projecto iria atingir os níveis actualmente existentes”.

O balanço destes 21 anos de existência “só poderia ser positivo”. Durante este período, “passaram pela colectividade várias centenas de jovens atletas dos mais variados estratos sociais”. Alguns tiveram mesmo “alguma evidência no panorama desportivo nacional”, como foi o caso de Marco Couto, que esteve ligado ao CRB durante dois anos e após esta curta passagem foi atleta de clubes como o FC Maia, Vitória de Guimarães, Beira-mar, jogou inclusive no estrangeiro e terminou a sua carreira no Olhanense, onde é agora o director desportivo.

Para criar condições para as práticas desportivas, foram necessárias obras e a aquisição de um terreno, onde estão actualmente as instalações da colectividade. Este desenvolvimento ficou, também a dever-se ao trabalho do actual presidente, José Rebelo Maia.

De acordo com Luís Neves, “o CRB sempre deu prioridade aos mais jovens sem nunca esquecer é claro as outras idades”. As actividades desenvolvidas são essencialmente na área desportiva e, actualmente, o trabalho realizado junto das camadas jovens é a prática do futsal. “Existe o projecto para a criação de outras modalidades a pensar nos jovens, mas tal só poderá acontecer quando tivermos instalações adequadas para a sua concretização” anunciou o responsável.

O CRB recebeu recentemente um financiamento para obras de melhoramento nas suas instalações. Luis Neves explicou que “relativamente ao financiamento que nos foi atribuído tem que ser feitas algumas rectificações, para que a opinião pública tenha uma visão real do que se passa. Tal financiamento é feito em 3 parcelas conforme o regulamentado. Ora de um total de € 15.500,00 e alguns trocados, que nos foi atribuído, apenas recebemos até à data € 3.877,74, correspondente a 25 %. Esta quantia deveria ter sido recebida cerca de 1/2 meses após a assinatura do contrato programa que se efectuou em finais de Junho de 2009. Apenas a recebemos em 17-02-2010. Entretanto, as outras duas parcelas ainda estão por receber e, por essa razão, a colectividade tem algumas dívidas”.

“Apesar das dificuldades” o CRB “não tem baixado os braços”. Assim, procedeu à pintura do interior das instalações, incluindo bancada, colocou grades para impedir o livre acesso do público ao recinto desportivo durante as competições, colocou piso novo na área circundante ao recinto desportivo.

As instalações “têm servido ao longo dos tempos como casa de muitas colectividades do concelho que participam nos campeonatos concelhios”. Actualmente, a associação conta com cerca de 300 associados inscritos e continua a campanha para atingir os 350.

No próximo mês de Setembro, o CRB vai realizar eleições para os corpos sociais, bem como captações para os escalões e infantis.