O Cante Alentejano, Património Imaterial da Humanidade, soou no Parque Nossa Senhora das Dores e foi uma das novidades do Festival Augusta Reis, do Rancho das Lavradeiras da Trofa, no sábado, 20 de junho.

O grupo coral etnográfico “Os Camponeses de Pias”, de Serpa, surpreendeu o público presente com “o Cante da Terra”, com as melodias típicas deste género musical, os trajes e instrumentos de trabalho agrícola.

Mas nem só este foi o grupo que apresentou uma atuação pouco vista nesta região. Participaram ainda o Rancho Folclórico “Os Fazendeiros das Lagameças”, de Palmela, o Grupo de Folclore das “Terras da Nóbrega”, de Lisboa e o Rancho Folclórico “Os Camponeses de Santana do Mato”, de Coruche. “A nossa política é atuar longe da Trofa e, em permuta, trazer grupos do sul, de outras realidades etnográficas e que permitam um festival agradável de ver e ouvir. O feedback do público foi muito positivo, pelo que podemos considerar que foi um sucesso”, afirmou Luís Elias, presidente do Rancho das Lavradeiras da Trofa.

Segundo o responsável do grupo, este “foi dos festivais mais participados” em termos de público.